terça-feira, 6 de dezembro de 2016

URUMBEBA (Nopalea coccinilifera) fígado e estômago.

URUMBEBA (Nopalea coccinilifera) fígado e estômago.

998 URUMBEBA (Nopalea coccinilifera)
Família: Cactáceas.
Sinonímia: Caachabi, nopal.
Características: Cactácea de flores vermelhas. O fruto presta-se para fazer doces saborosos.
Habitat: Estados do Nordeste.
Valor terapêutico:
O decocto do fruto, que é mucilaginoso, é bom para combater
as afecções do fígado e do estômago.



segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

URUCU (Bixa orellana) expectorantes

URUCU (Bixa orellana) expectorantes

997 URUCU (Bixa orellana)
Família: Bixáceas.
Sinonímia: Urucuuba.
Outros idiomas: Achiote (Peru), Achote, Bija, Onoto (Venezuela).
Características: Arbusto que cresce até 5 metros de altura.
Tronco reto, dividido em ramos, que formam uma copa.
Folhas alternas, pecioladas, cordiformes, acuminadas.
Fruto: cápsula coberta de espinhos, de 2 cm, contendo muitas sementes vermelhas, envoltas numa massa da mesma cor, das quais se faz um pó vermelho e condimento-so, chamado colorau, muito usado na arte culinária.
Valor terapêutico:
As sementes do urucu são expectorantes nas moléstias do peito.
São recomendadas para diversas afecções do coração: cardite, endocardite, pericardite, etc. A tinta do urucu é usada como antídoto do ácido prússico, veneno da mandioca.
Parte usada: Sementes, em infusão.




domingo, 4 de dezembro de 2016

URUBUCAÁ (Aristolochia trilobata) antidiarréica

URUBUCAÁ (Aristolochia trilobata) antidiarréica

996 URUBUCAÁ (Aristolochia trilobata)
Família: Aristoloquiáceas.
Sinonímia: Calunga, capa-homem, mil-homená, papo-de-peru, jar-rinha, angelicó.
Características: Ver angelicó. O urubucaá tem, toda a planta, um cheiro
aliáceo-canforado muito forte, e um sabor amargo e nauseabundo.
Valor terapêutico:
A raiz, amarga, é tônica, febrífuga, estimulante, emenagoga, antidiarréica.
Usám-se 2 a 5 gramas por dia, em decocção.
Em dose elevada provoca náuseas, dejeções e perturbações cerebrais.
Por ser energicamente abortiva, as gestantes não devem fazer uso dessa planta.
Externamente emprega-se a raiz, em pó, nas úlceras crônicas e nos lupos.
O decocto da raiz (25 a 50:1000) tem aplicação contra a orquite,
a sarna e as úlceras.



sábado, 3 de dezembro de 2016

URTIGÃO (Urera baccifera) contra a leucorréia.

URTIGÃO (Urera baccifera) contra a leucorréia.

994 URTIGÃO (Urera baccifera)
Família: Urticáceas.
Sinonímia: Cansanção (Amazônia).
Características: Arbusto grande.
Caule e ramos aculeados.
Folhas cobertas de pêlos urticantes na face inferior.
Flores brancas ou róseas.
Fruto branco ou róseo.
Valor terapêutico:
O decocto da raiz é bom remédio contra a leucorréia.
O decocto das folhas presta-se para os mesmos fins, sendo, além disso,
eficaz contra a anúria e disúria.
Partes usadas: Raiz e folhas, em decocção.

URTIGÃO (Urera subpeltata)

995 URTIGÃO (Urera subpeltata)
Família: Urticáceas.
Sinonímia: Cansanção-verdadeiro, cansação-de-folha-grande.
Característica: Arbusto.
Habitat: Medra nos Estados do Norte.
Valor terapêutico:
A raiz, em decocção, tem propriedades tônicas, eupépticas,
diuréticas e antifebris.



sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

URTIGA-MORTA (Mercurialis annua) emoliente, laxante e vermífuga.

URTIGA-MORTA (Mercurialis annua) emoliente, laxante e vermífuga.

992 URTIGA-MORTA (Mercurialis annua)
Família: Euforbiáceas.
Sinonímia: Mercurial.
Características: Planta herbácea.
Haste angulosa, quadrangular.
Folhas opostas, pecioladas, oval-lanceoladas, serreadas.
Flores miúdas, dispostas em espigas alongadas.
Habitat: Nos campos cultivados e em torno das habitações.

Valor terapêutico:
É uma planta emoliente, laxante e vermífuga.
Deve empregar-se somente a erva fresca, de que se usa o suco espremido, o decocto e o melito.


URTIGA-VERMELHA (Urtica urens, Urtica minor, Urtica scalpa)

993 URTIGA-VERMELHA (Urtica urens, Urtica minor, Urtica scalpa)
Família: Urticáceas.
Sinonímia: Urtiga-da-miúda.
Características: Haste vermelha.
Folhas alternas ou opostas e dotadas de estipulas. O pecíolo, também vermelho, sustenta um limbo oval ou elíptico, peninervado, fortemente serreado, crespo, pubescen-te. Fíores unissexuadas, monóicas, reunidas em cachos axiais.
Valor terapêutico:
As folhas bem tenras, das extremidades, misturadas com outras ervas, são usadas em saladas ou guisados para estimular as funções digestivas, facilitar a secreção urinária (na hidropisia), ajudar no tratamento da diabete e da anemia.
Em saladas, ensopados, chás, sucos, a urtiga age poderosamente como depurativa do sangue, pelo que se usa nas afecções da pele, gota, reumatismo, etc.
É um bom remédio contra os cálculos renais.
Aumenta a secreção do leite das mulheres que amamentam.
É preciso tomar cuidado com os espinhos da urtiga, ao apanhar suas folhas.
Depois de colhidas as folhas, os próprios espinhos ficam murchos, inofensivos.
Parte usada: Toda a planta, fresca e florida.
Dose: 20 gramas para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia.




quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

URTIGA-BRAVA (Urera caracasana) nas afecções pulmonares

URTIGA-BRAVA (Urera caracasana) nas afecções pulmonares

989 URTIGA-BRAVA (Urera caracasana)
Família: Urticáceas.
Sinonímia: Cansanção (Amazônia), Caracasana.
Outro idioma: Caracasana (Venezuela).
Cacterísticas: Arbusto grande.
Haste aculeada.
Ramos novos cobertos de pêlos urticantes.
Fruto avermelhado.
Habitat: Amazônia.
Valor terapêutico:
Usa-se nas afecções pulmonares (infuso das folhas), na sífilis (infuso da casca),
nas moléstias do Baixo Amazonas (decocto das folhas).

URTIGA-CANSANÇÃO (Cnidosculus pruriginosus)

990 URTIGA-CANSANÇÃO (Cnidosculus pruriginosus)
Família: Eurforbiáceas.
Sinonímia: Urtiga-de-mamão.
Características: Planta herbácea-arbustiva.
Caule verde, dotado de pêlos longos, duros e urentes ao toque.
Folhas palmadas (cinco lobos), longipecioladas.
Flores brancas, como jasmins, em cachi-nhos.
Fruto: Noz capsular, espinhosa.
Valor terapêutico:
Toda a planta, machucada, exsuda um leite que, embebido num pano, se aplica nas partes afetadas, em caso de erisipela.
Triturada e aplicada sobre as frontes, em forma de emplastro, a urtiga-cansanção tem efeito soporífero.

URTIGA-DA BAHIA (Pelea muscosa)

991 URTIGA-DA BAHIA (Pelea muscosa)
Família: Urticáceas.
Característica: Erva arbustiva.
Valor terapêutico:
Recomenda-se tanto o decocto como o suco fresco desta planta,
por suas propriedades febrífugas e diuréticas.



quarta-feira, 30 de novembro de 2016

URTIGA-BRANCA (Lamium album) contra os catarros

URTIGA-BRANCA (Lamium album) contra os catarros

988 URTIGA-BRANCA (Lamium album)
Família: Labiadas.
Sinonímia: Lamio-branco, urtiga-morta.
Características: Planta vivaz, 20 a 40 cm, ligeiramente aveludada.
Haste erecta, verde, de cheiro pouco agradável, simples, quadrangular.
Folhas opostas, pecioladas, cordiformes, acuminadas, profundamente serreadas, de nervuras salientes na face inferior.
Flores brancas, grandes, sésseis, verticiladas.
Valor terapêutico:
É excelente remédio contra os catarros das vias respiratórias, escrofulose, hemorragias, hemoptises, leucorréia, menstruação irregular, ovarite.
Diz o Dr. J. Monteiro da Silva que a urtiga-branca tem propriedades hemostãticas, sendo usada contra as hemoptises, as epistaxes e as metrorragias.
Esse vegetal regulariza as funções do intestino em caso de constipação e diarréia.
Exteriormente aplica-se a infusão das flores, em loções e compressas, sobre contusões, queimaduras, etc.
Parte usada: Flores.
Dose: 10 gramas para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia.



A única esperança de coisas melhores está na educação do povo nos
verdadeiros princípios.
Ensinem os médicos ao povo que o poder restaurador não se encontra em drogas,
porém na Natureza. (E. G. White)



terça-feira, 29 de novembro de 2016

UOAPURAMA (Myrtus racemosa) desobstruente do fígado.

UOAPURAMA (Myrtus racemosa) desobstruente do fígado.

987 UOAPURAMA (Myrtus racemosa)
Família: Mirtáceas.
Característica: Arbusto.
Habitat: Nas proximidades do mar.
Valor terapêutico:
A raiz, em decocção, é diurética e desobstruente do fígado.
O decocto das cascas e das sementes é proveitoso no tratamento das febres.
Partes usadas: Raiz, cascas e sementes.
Dose: 10 gramas para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia.



segunda-feira, 28 de novembro de 2016

UNHA-DE-ANTA para combater a elefantíase.

UNHA-DE-ANTA para combater a elefantíase.

985 UNHA-DE-ANTA (Bauhinia aculeata, Bauhinia fortificata)
Família: Leguminosas-cesalpiniáceas.
Sinonímia: Bauínia, pata-de-vaca, unha-de-boi, unha-de-vaca, pé-de-boi, mororó.
Características: Árvore alta, dotada de acúleos.
Folhas profundamente uncinadas, bilobadas.
Flores brancas.
Habitat: Rio de Janeiro.
Valor terapêutico:
A casca, em decocção, é empregada na diabete.
O decocto das folhas é usado, interna e externamente,
para combater a elefantíase.

UNHA-DE-GATO (Bignonia unguis-cati)

986 UNHA-DE-GATO (Bignonia unguis-cati)
Família: Bignoniáceas.
Sinonímia: Cipó-de-gato, cipó-de-morcego, hera-de-são-domingos.
Características: Cipó grande.
Gavinhas terminadas por três ganchos recurvos, que lembram a unha do gato.
Flores amarelo-claras, alaranjadas, grandes, numerosas.
Habitat: Muito comum no Mato Grosso.
Valor terapêutico:
Tem propriedades diuréticas, anti-reumáticas e anti-sifilíticas.
Partes usadas: Folhas e casca.
Dose: 20 gramas para 1 litro de água; 2 a 3 xícaras por dia.



domingo, 27 de novembro de 2016

UMIRI (Humiria floribunda) tenífugo e vulnerário.

UMIRI (Humiria floribunda) tenífugo e vulnerário.

982 UMIRI (Humiria floribunda)
Família: Humiriáceas.
Características: Árvore ou arbusto.
Madeira castanho-vermelha escura.
Da casca exsuda, por incisão, um bálsamo resinoso, de aroma agradável.
Fruto pequeno, preto, resinoso, adocicado, comestível.
Habitat: Nas campinas pedregosas, nas campinas arenosas, nas praias.
Valor terapêutico:
O decocto da casca é diurético, tenífugo e vulnerário.

UMIRI-BÁLSAMO (Humiria balsamifera)

983 UMIRI-BÁLSAMO (Humiria balsamifera)
Família: Humiriáceas.
Sinonímia: Umiri.
Outro idioma: Bois roug tisane (Guiana Francesa).
Características: Árvore.
Madeira castanho-vermelha.
Por incisão, extrai-se da casca um líquido balsâmico vermelho, de aroma agradável.
Habitat: Nos terrenos altos e arenosos, na Amazônia.
Valor terapêutico:
A resina, que pode substituir o bálsamo-do-pe-ru, é expectorante, tenífuga e antiblenorrágica.

UMIRI-BASTARDO (Trexandria elliptica)

984 UMIRI-BASTARDO (Trexandria elliptica)
Família: Meliáceas.
Característica: Árvore.
Habitat: Estados do Norte.
Valor terapêutico:
O óleo que se obtém desta árvore tem virtudes adstringentes.
O decocto da casca, em gargarejos, é útil nas úlceras da garganta.