sábado, 31 de janeiro de 2015

ANGÉLICA Nas afecções da pele, dores

ANGÉLICA Nas afecções da pele, dores

59 ANGÉLICA (Archangelica officinalis, Angélica archangelica)
Família: Umbelíferas.
Sinonímia: Arcangélica, raiz-do-espírito-sãnto, angélica-do-jardim,
angélica-da-boêmia.
Características: Planta herbácea.
Haste cerrada, fistulosa, suculenta.
Folhas compostas.
Folíolos opostos.
Flores brancas, volumosas, de bordos lanei nados.
Valor terapêutico: É estimulante, carminativa, depurativa, diuréti-ca, estomacal, emenagoga.
Usa-se para: bronquites, cãibras, cefalalgia, clorose, convulsões, cólicas, debilidade e dilatação do estômago, digestões difíceis, enfermidades do peito e da garganta, dos pulmões, fígado, rins e bexiga, escorbuto, gota, hipo, histerismo, paludismo, reumatismo, rouquidão, tétano, tifo, ventosidades, vômitos.
O chá das raízes de angélica, em mistura com chá de losna, ê muito bom para cãibras do baixo ventre, disenterias e mucosidades pulmonares.
Nas afecções da pele, dores dorsais, reumatismo, emprega-se também o chá de angélica, topicamente, em forma de loções, fricções e compressas.
Parte usada: Toda a planta.
Dose: 20 gramas para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia.



ANGÉLICA DO MATO (Guettarda angélica, Canthium febrifugum)

60 ANGÉLICA DO MATO (Guettarda angélica, Canthium febrifugum)
Família: Rubiáceas.
Sinonímia: Angélica-mansa.
Características: Arbusto ramoso.
Casca escura.
Folhas ovais, opostas.
Flores em cachos, amarelas.
Fruto: drupa globosa, pequena, com duas sementes no interior.
Habitat: No litoral.
Valor terapêutico: A raiz é recomendada, em decocção, nos casos de anemia, febre amarela, febre puerperal, febre tífica.



Nenhum comentário:

Postar um comentário