terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

ARREBENTA-CAVALOS (Solanum arrebenta, Solanum aculea-tissimum, Solanum agrarium)

ARREBENTA-CAVALOS (Solanum arrebenta, Solanum aculea-tissimum, Solanum agrarium)

104 ARREBENTA-CAVALOS (Solanum arrebenta, Solanum aculea-tissimum, Solanum agrarium)
Família: Solanáceas.
Sinonímia: Melancia-da-praia (Pernambuco), baba (Bahia), mingo-la (Alagoas), arrebenta-boi, bobó, juati.
Em S. Paulo, Minas e Rio é que se chama arrebenta-cavalos.
Características: Erva espinhosa, cujos ramos se elevam até uns 50 cm.
Haste e folhas cheias de espinhos.
Folhas pecioladas, lobadas, relativamente grandes.
Flores reunidas em pequenos grupos, formando estrelas verde-amareladas.
O fruto contém uma massa branca, prateada, semi-esponjosa, muito doce, e muitas sementes reniformes.
F. C. Hoehne, em sua obra "Plantas e Substâncias Vegetais Tóxicas e Medicinais", pág. 256, alega que as crianças comem a casca "sem dano para si". E acrescenta que, "se existem princípios tóxicos, os mesmos devem existir nas sementes".
M. Penna, em seu livro "Notas Sobre Plantas Brasileiras", pág. 417, diz.
"Os cavalos, quando comem os frutos, morrem; e as vacas, se não morrem, transmitem pelo leite todas as propriedades tóxicas."
Valor terapêutico: Emprega-se exteriormente para fazer desaparecer os panos (manchas) da pele; na urticária também se aplica.
Parte usada: Fruto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário