quinta-feira, 30 de julho de 2015

CIPÓ-IMBÉ (Philodendron bipinnatifidum, Philodendron imbe)

CIPÓ-IMBÉ (Philodendron bipinnatifidum, Philodendron imbe)

347 CIPÓ-IMBÉ (Philodendron bipinnatifidum, Philodendron imbe)
Família: Aráceas.
Sinonímia: Bananeira-imbé, ambé, uambé, uambé-curua, tracuá, curuba,
bananeira-do-brejo, costela-de-adão.
Características: Cipó epífito, dotado de raízes adventícias,
pelas quais se prende aos seus sustentáculos (árvores ou rochas).
O caule termina numa frondosa copa folhear, que leva este vegetal
a ser classificado entre as mais belas plantas ornamentais.
Suas enormes folhas longipecioladas penatífidas, ovais no ápice e sagitifor-mes na base,
cujo limbo mede até 80 cm de comprimento, formam um grande tufo arredondado, que esconde completamente o tronco enquanto este é ainda baixo.
As raízes adventícias, compridas, delgadas e resistentes, são usadas para fabricação de cordas.
Valor terapêutico: O decocto das folhas frescas e cascas do caule é recomendado,
em banhos, nos seguintes casos: erisipela, inflamações reumáticas, orquite.
O mesmo cozimento, em dose mais fraca (10:1000), usa-se na hidropisia, tomando-se várias xícaras ao dia.
As folhas frescas, amassadas, aplicam-se sobre úlceras.
A raiz, em pó, é um purgativo drástico.
Usa-se com cuidado.
Partes usadas: Folhas, casca, raiz.


CIPÓ MIL HOMENS (Aristoiochia raja)

348 CIPÓ MIL HOMENS (Aristoiochia raja)
Família: Aristoloquiáceas.
Sinonímia: Jarrinha-arraia, raja.
Característica: Planta trepadeira.
Valor terapêutico: A raiz encerra propriedades emenagogas.





Nenhum comentário:

Postar um comentário