sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

HORTELÃ (Mentha piperita) antiespasmódicas, estomáquicas, tônicas

HORTELÃ (Mentha piperita) antiespasmódicas, estomáquicas, tônicas

556 HORTELÃ (Mentha piperita)
Família: Labiadas.
Sinonímia: Hortelã-pimenta, menta.
Outros idiomas: Menthe (Guiana Francesa), Peppermint (Estados Unidos), Pfeffermuenze (Alemanha), Menta (países de fala castelhana).
Características: Planta herbácea, ligeiramente aveludada.
Haste erecta, quadrangular, avermelhada, ramosa.
Ramos erectos e opostos.
Folhas opostas, curtamente pecioladas, oval-alongadas, lanceoladas ou acuminadas, serreadas, algo pubescentes.
Flores violáceas, numerosas, curtamente pedunculadas, reunidas em verticilos separados.
Habitat: Cultivada em toda parte.
Valor terapêutico:
Na hortelã estão reunidas, em elevado grau, as propriedades antiespasmódicas, carminativas, estomáquicas, estimulantes, tônicas, etc.
Prescreve-se a hortelã como remédio na atonia das vias digestivas, flatulências, timpanite (especialmente a de causa nervosa), cálculos biliares, icterícia, palpitações, tremedeiras, vômitos (por nervosida-de), cólicas uterinas, dismenorréia, prostatite.
E um medicamento eficaz contra os catarros das mucosas, já porque favorece a expectoração, já porque combate a formação de novas matérias a expulsar.
Bom remédio contra a laringite.
Aplica-se o sumo embebido em algodão para acalmar as dores de dente.
As crianças que têm vermes intestinais, administra-se um chá de hortelã, para libertá-las dos parasitas que as atormentam.
As mães que amamentam devem tomar este chá, para aumentar a secreção de leite.
Há também outras espécies de hortelãs (Mentha viridis, Mentha crispa, etc.)
cujas propriedades medicinais são idênticas às da Mentha piperita.
Partes usadas: Folhas e sumidades floridas, por infusão.
Dose: Folhas, normal; flores, 10 gramas para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia.





Nenhum comentário:

Postar um comentário