terça-feira, 15 de março de 2016

LOSNA (Artemísia absinthium)

LOSNA (Artemísia absinthium)

634 LOSNA (Artemísia absinthium)
Família: Compostas.
Sinonímia: Erva-dos-vermes, absíntio, losna-maior.
Características: Planta herbácea.
Um metro de altura, mais ou menos. Dá em moitas.
Folhas penatífidas, de cor glauco-esbranqui-çada, algo prateada.
Sabor amargo.
Flores amarelas.
Valor terapêutico:
Emprega-se para: catarros, cólicas, diarréia, envenenamentos, escrófulas,
estômago (perturbações gástricas diversas), flores-brancas, falta de apetite,
fígado (afecções diversas), gripe, hidropisia, histerismo, mau hálito,
menstruação difícil e dolorosa.
Em doses maiores que a indicada abaixo, age como emenagogo, febrífugo, vermífugo.
Para dores de ventre, ventosidades, diarréias, cólicas, vômitos, etc.,
devem, além do chá de losna, aplicar-se cataplasmas quentes com folhas desta planta, sobre o ventre.
Em substituição às cataplasmas, podem usar-se compressas.
Molha-se um pano em chá, quente, de losna, espreme-se o pano e coloca-se
sobre o ventre, pondo-se outro pano seco em cima.
Cobre-se o enfermo com um ou mais cobertores.
Uma cura com chá de losna é muito benéfica.
Limpa e regulariza o funcionamento de diversos órgãos: estômago, fígado, rins,
bexiga e pulmões.
Já se têm conseguido bons resultados, com o chá de losna, no combate à tísica.
Partes usadas: Folhas e flores.
Dose: 20 gramas para um litro de água, Do chá toma-se uma colher, das de sopa,
de hora em hora.





Nenhum comentário:

Postar um comentário