terça-feira, 26 de abril de 2016

MARACUJÁ-AÇU (Passiflora quadrangularis) Provoca um sono natural

MARACUJÁ-AÇU (Passiflora quadrangularis) Provoca um sono natural

684 MARACUJÁ-AÇU (Passiflora quadrangularis)
Família: Passifloráceas.
Sinonímia: Maracujá-silvestre, maracujá-guaçu, maracujá-suspiro, grenadilha.
Outros idiomas: Martírio, flor-da-paixão, passiflora (Portugal), Bar-badine, Grenadille, Couzou (Guiana Francesa), Pasionaria, Granadilla (Argentina), Passion-flower (Inglaterra), Passionsblume (Alemanha).
Características: Trepadeira que cresce geralmente ao pé das árvores e dos arbustos.
Caule quadrangular.
Grandes folhas alternas, inteiras, elípticas e até ovais; muito largas no terço inferior quando se trata de folhas velhas.
Flores grandes, solitárias, de cálice verde por fora e branco por dentro, as quais se abrem pela manhã, formando uma grande taça, e se fecham ao escurecer.
Habitat: Comum por toda a parte.
Valor terapêutico: O infuso das folhas do maracujá-açu é recomendado nos seguintes casos: alcoolismo crônico, asma, bronquite, coqueluche, convulsão infantil, delirium tremens, diarréia, disenteria, dor de cabeça nervosa, vermes intestinais.
É também apregoado como diurético e desinfetante das vias urinárias.
Disse o Dr. L. Phares, de Neutonia: "nunca vi coisa que atuasse tão prontamente nas erisipelas.
Receitei-o com vantagens nas úlceras, nas nevralgias e no tétano"
Esta planta é, outrossim, um antiespasmódico e calmante de primeira ordem, podendo empregar-se nas crises nervosas e neurastêni-cas; também nas insônias, palpitações e tosses de origem nervosa.
Tem, igualmente, ação anafrodisíaca.
Exprime-se o Dr. Alberto Seabra sobre esta passiflorácea:
"É hoje mundialmente conhecida e usada só ou combinada em diferentes
fórmulas, por quase todos os laboratórios, e com nomes diversos.
Provoca um sono natural, sem produzir depressão nervosa, sendo por isso bem indicado nas insônias de qualquer natureza. O doente, sob sua ação, conserva integralmente a lucidez, e a faculdade de pensar, falar e agir, mantendo-se em boa disposição até o momento de adormecer.
Seu uso contínuo, se necessário, não tem inconvenientes, pois não é tóxica nem vicia o organismo.
Deve ser recomendada em todas as excitações nervosas, histerismo, neurastenia e nos casos de depressão por preocupação e idéia fixa."
A raiz é tenífuga, porém, em alta dose, é vomitiva e venenosa.
Em loções ou cataplasmas, as folhas são vulnerárias: usam-se para curar feridas.
O fruto é diurético, depurativo do sangue e estomáquico.
Aproveita-se o suco nas inflamações e debilidades do estômago e intestino.






Nenhum comentário:

Postar um comentário