quinta-feira, 30 de junho de 2016

PALMEIRA-PIASSAVA (Leopoldinia piassaba) remedia a erisipela

PALMEIRA-PIASSAVA (Leopoldinia piassaba) remedia a erisipela

754 PALMEIRA-PIASSAVA (Leopoldinia piassaba)
Família: Palmáceas.
Sinonímia: Piaçaba.
Outro idioma: Chiquichiqui (nome que os indígenas da Venezuela dão à polpa do fruto).
Características: Palmeira com tronco de 6 a 10 metros.
Folhas de 4 a 5 metros de comprimento.
Na base dos pecíolos, envolvendo o tronco, há um verdadeiro tecido de fibras grossas,
castanho-escuras, flexíveis, resistentes, que se usam na fabricação de vassouras, escovas, etc:
A polpa do fruto é comestível.
Valor terapêutico: Das fibras desta palmeira pode extrair-se, por infusão,
uma substância que se aplica contra as dores provocadas pela erisipela.
Esse princípio ativo abranda a inflamação e previne a formação de vesículas serosas.
No extrato misturado com água quente embebe-se uma mecha de algodão ou
um pedaço de pano, que se coloca, em seguida, sobre as partes afetadas.



quarta-feira, 29 de junho de 2016

PALMEIRA-JUPATI no reumatismo, na gota

PALMEIRA-JUPATI no reumatismo, na gota

753 PALMEIRA-JUPATI (Raphia vinifera, Raphia taedigera)
Família: Palmáceas.
Características: Palmeira acaule ou munida de tronco muito curto e grosso.
Folhas erectas, enormes.
Fruto semelhante a um ovo, avermelhado, lustroso, de aparência escamosa.
Polpa vermelha, oleosa, adstringente, amarga. Dá um óleo vermelho.
Habitat: Nas matas alagadas e baixadas lodosas dos estuários.
Valor terapêutico: O óleo de jupati tem aplicação, em fricções,
no reumatismo, na gota, nas paralisias.




terça-feira, 28 de junho de 2016

PALMEIRA CARANDÁ (Copernicia australis) diurética

PALMEIRA CARANDÁ (Copernicia australis) diurética

752 PALMEIRA CARANDÁ (Copernicia australis)
Família: Palmáceas.
Características: Palmeira.
Caule de 10 a 15 metros.
As folhas não formam cera como as da carnaubeira (copernicia cerifera).
Valor terapêutico: A raiz é diurética e alterante.



segunda-feira, 27 de junho de 2016

PALMATÓRIA (Opuntia monacantha) refrigerante e diurético.

PALMATÓRIA (Opuntia monacantha) refrigerante e diurético.

751 PALMATÓRIA (Opuntia monacantha)
Família: Cactáceas.
Sinonímia: Urumbeba.
Características: Artículos obovais ou alongados, carnudos, com aréolas dotadas de um ou dois espinhos grandes e duros.
Flores amarei o-esverdeadas.
Fruto piriforme, amarelo.
Habitat: Rio de Janeiro e outros Estados.
Valor terapêutico: Usa-se o fruto como refrigerante e diurético.




domingo, 26 de junho de 2016

PAINEIRA (Bombax ventricosa) para curar queimaduras.

PAINEIRA (Bombax ventricosa) para curar queimaduras.

750 PAINEIRA (Bombax ventricosa)
Família: Bombáceas.
Sinonímia: Barriguda, boloteiro, imbira-tanha (Ceará).
Características: Árvore muito grande. O tronco apresenta um bojo no meio, semelhante ao da macaibeira.
Folhas em forma de palmas. O fruto, que tem a aparência de um pepino, quando se abre, solta uma paina branca, a qual se presta para encher travesseiros.
Valor terapêutico: O decocto da casca é empregado para curar queimaduras.



sábado, 25 de junho de 2016

PACOVÁ-CATINGA (Renealmia exaltata) vermífuga

PACOVÁ-CATINGA (Renealmia exaltata) vermífuga

749 PACOVÁ-CATINGA (Renealmia exaltata)
Família: Zingiberáceas.
Sinonímia: Cardamomo-do-brasil.
Características: Planta herbácea.
Flores vermelhas.
Toda a planta exala um cheiro desagradável.
Habitat: Nos lugares úmidos' ou pantanosos.
Valor terapêutico: O rizoma ê tônico, estomáquico, carminativo, estimulante, vulnerário.
Usa-se externamente, em decocção, para lavar as feridas de mau caráter, e, em cataplasmas, para tratar o câncer.
As sementes, em infusão, são vermífugas, recomendadas especialmente
para as crianças.




sexta-feira, 24 de junho de 2016

PACOVÁ (Renealmia brasiliensis)

PACOVÁ (Renealmia brasiliensis)

748 PACOVÁ (Renealmia brasiliensis) ação vermicida
Família: Zingiberáceas.
Sinonímia: Paco-seroca, pacovà-catinga.
Características: Planta herbácea. A haste, erecta, é constituída pelos pecíolos das próprias folhas, os quais partem do solo.
Folhas inteiras, lanceoladas, peninervadas.
Inflorescência em cacho. O raquis parte do solo, em separado do caule.
Valor terapêutico:
"Positivamente antelmínticas são as sementes de muitas Renealmias, que o vulgo denomina, genericamente, 'paco-vá', e de que a Renealmia brasiliensis K. Schum é bem freqüente e largamente usada aqui no Sul do Brasil, onde cresce nas matas úmidas da Serra do Mar.
Acreditamos que a sua ação vermicida é devida ao óleo etéreo que as sementes encerram em porcentagem apreciável."
F. C. Hoehne, Plantas e Substâncias Vegetais Tóxicas e Medicinais, pág. 98.
Usa-se um punhadinho de sementes em infusão.
Toma-se o chá.
Os rizomas são carminativos, estomáquicos, excitantes.
Prepa-ra-se um chá com 10 gramas de rizoma para 1 litro de água.
Externamente o chá das cascas ou rizomas (50 gramas para 1 litro de água) é usado para banhar feridas e para desinflamar inchaços e contusões.




quinta-feira, 23 de junho de 2016

PACARI-DA-MATA (Lafoensia densiflora) contra a lepra

PACARI-DA-MATA (Lafoensia densiflora) contra a lepra

747 PACARI-DA-MATA (Lafoensia densiflora)
Família: Litráceas.
Sinonímia: Ariauá, Dedal.
Características: Árvore pequena, ornamental.
Madeira amarelada.
Flores belas e abundantes.
Habitat: Nos campos cobertos, do Norte ao Sul do País.
Valor terapêutico: A raiz é tônica, febrífuga e útil nas cólicas fla-tulentas.
Usa-se o decocto interna e externamente contra a lepra.



quarta-feira, 22 de junho de 2016

ORÉLIA contra os piolhos, sarnas

ORÉLIA contra os piolhos, sarnas

746 ORÉLIA (Allamanda Aubletii, Allamanda Schottii)
Família: Apocináceas.
Sinonímia: Flor-amarela.
Característica: Liana cautchutífera.
Habitat: Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro.
Valor terapêutico: O suco, em pequena dose, é purgativo drástico,
sendo tóxico em alta dose.
Ê aconselhado contra as cólicas dos pintores.
Externamente, tem aplicação contra os piolhos, sarnas, etc.



terça-feira, 21 de junho de 2016

ORELHA-DE-JUDAS para curar frieiras

ORELHA-DE-JUDAS para curar frieiras

745 ORELHA-DE-JUDAS (Exidia auricula Judae)
Família: Auriculariáceas.
Característica: Cogumelo.
Valor terapêutico: O pó desse fungo é eficaz para curar frieiras.



segunda-feira, 20 de junho de 2016

ORELHA-DE-GATO aos doentes dos intestinos e reumatismo crônico.

ORELHA-DE-GATO aos doentes dos intestinos e reumatismo crônico.

743 ORELHA-DE-GATO (Cissampelos fasciculata)
Família: Menispermáceas.
Sinonímia: Parreirinha.
Características: Planta arbustiva, escandente.
Valor terapêutico: É aconselhada aos doentes dos intestinos
e aos que sofrem de reumatismo crônico.


ORELHA-DE-GATO contra as anginas e as dores de garganta.

744 ORELHA-DE-GATO (Hypericum connatum)
Família: Gutíferas.
Características: Arbusto.
Caule erecto.
Folhas cônicas.
Flores miúdas, em cachos.
Habitat: Vegeta nos terrenos paludoso, em Minas e nos Estados do Sul.
Valor terapêutico: O decocto desta planta é bom remédio
contra as anginas e as dores de garganta.



domingo, 19 de junho de 2016

ORELHA-DE-BURRO (Cissampelos amazônica)

ORELHA-DE-BURRO (Cissampelos amazônica)

742 ORELHA-DE-BURRO (Cissampelos amazônica)
Família: Menispermáceas.
Sinonímia: Orelha-de-onça.
Característica: Arbusto.
Valor terapêutico: A raiz é tônica, antifebril e boa para
dissolver os cálculos da bexiga.

sábado, 18 de junho de 2016

ORA-PRO-NOBIS (Peireskia aculeata) propriedades emolientes.

ORA-PRO-NOBIS (Peireskia aculeata) propriedades emolientes.

741 ORA-PRO-NOBIS (Peireskia aculeata)
Família: Cactáceas.
Sinonímia: Jumbeba, rosa-madeira.
Características: Cactácea trepadeira, ramificada, com aréolas munidas de espinhos junto de cada folha.
Flores brancas, em panículas terminais.
Fruto pequeno, amarelo, dotado de aréolas.
Valor terapêutico: As folhas encerram propriedades emolientes.



sexta-feira, 17 de junho de 2016

ÓLEO-VERMELHO (Myrospermum erythroxilum)

ÓLEO-VERMELHO (Myrospermum erythroxilum)

740 ÓLEO-VERMELHO (Myrospermum erythroxilum)
Família: Leguminosas.
Sinonímia: Pau-de-óleo, Cabureíba, capureúva, capreúva, capureíba.
Características: Árvore.
Madeira vermelha.
Valor terapêutico: O bálsamo e o decocto da casca têm as mesmas
aplicações do bálsamo-do-peru.
Ver esta planta.



quinta-feira, 16 de junho de 2016

OLANDIM (Moronobia coccinea) resolutivo dos tumores.

OLANDIM (Moronobia coccinea) resolutivo dos tumores.

739 OLANDIM (Moronobia coccinea)
Família: Gutiferáceas ou gutíferas.
Sinonímia: Gulandim.
Características: Árvore elegante, lactífera.
Folhas oval-alongadas, coriáceas, glabras, pontiagudas, opostas.
Flores pequenas, vermelhas, em cachos terminais.
Fruto: baga espessa, contendo um ou dois caroços, comestível.
Valor terapêutico: O suco leitoso, que se obtém por incisão,
é bom resolutivo dos tumores.



quarta-feira, 15 de junho de 2016

OFICIAL-DA-SALA (Asclepias curassavica) é venenosa para matar o berne.

OFICIAL-DA-SALA (Asclepias curassavica) é venenosa para matar o berne.

738 OFICIAL-DA-SALA (Asclepias curassavica)
Família: Asclepiadáceas.
Sinonímia: Camará-bravo, erva-de-rato, seda-vegetal, cega-olho, mata-olho,
falsa-ipecacuanha, ipecacuanha-das-antilhas, margaridinha (Maranhão), paina.
Outro idioma: Codio, Herbe à Mme.
Boivin (Guiana Francesa).
Características: Subarbusto ou planta herbácea.
Flores vermelhas e amarelas.
Sementes envoltas em penachos de paina sedosa, boa para enchimento de travesseiros. A planta exsuda um látex que contém borracha.
Habitat: Nos lugares abandonados e nos brejos.
Valor terapêutico: A raiz, em pequena dose, é emética e purgativa;
em dose elevada é venenosa, exercendo sobre o coração uma ação direta e rápida,
semelhante à da digital. Não convém, pois, usá-la.
Emprega-se, porém, no campo, externamente, para matar o berne.
O látex, em pequena dose (1 colher das de chá em uma xícara d'água, em infusão), é bom remédio contra a blenorragia e a leucorréia.




terça-feira, 14 de junho de 2016

OEIRANA (Salix Martiana) antiblenorrágicos

OEIRANA (Salix Martiana) antiblenorrágicos

737 OEIRANA (Salix Martiana)
Família: Salicáceas.
Sinonímia: Oirana, uirana, chorão, oeirana-de-folha-fina.
Característica: Árvore pequena ou arbusto grande.
Habitat: Nas várzeas novas e baixas dos grandes rios.
Valor terapêutico: O infuso das folhas e o decocto da casca são sudoríficos,
anti-hemorrágicos (contra as hemoptises) e antiblenorrágicos.



segunda-feira, 13 de junho de 2016

OCA (Oxalis tuberosa)

OCA (Oxalis tuberosa)

736 OCA (Oxalis tuberosa)
Família: Oxalidáceas.
Características: Planta herbácea.
Caule ramoso.
Folhas trinas.
Flores em umbelas.
Valor terapêutico: Usa-se como adstringente.



domingo, 12 de junho de 2016

NARCISO (Narcissus pocliclus, Narcissus pratensis) nas queimaduras.

NARCISO (Narcissus pocliclus, Narcissus pratensis) nas queimaduras.

735 NARCISO (Narcissus pocliclus, Narcissus pratensis)
Família: Amarilidáceas.
Características: Planta herbácea, de jardim.
A cebola lisa emite um talo com flores brancas, amarelas no centro.
Valor terapêutico: A cebola, amassada e misturada com mel,
é útil nas queimaduras.




sábado, 11 de junho de 2016

MUTAMBA (Guazuma ulmifolia) contra pneumonia

MUTAMBA (Guazuma ulmifolia) contra pneumonia

734 MUTAMBA (Guazuma ulmifolia)
Família: Esterculiáceas.
Sinonímia: Pojó, camba-acã, camacã, ibixuma, ibixuna, ubixuma, nabombo, olmeiro-piramidal-da-martinica, mutombo, mucungo.
Outros idiomas: Orme d'Amérique (França), Bay-cedar, Bastard-cedar (Inglaterra).
Características: Árvore grande, ramosa, copada.
Madeira branca.
Folhas ovais, recortadas nos bordos.
Flores pequeninas, em capítulos globulosos.
Fruto comestível. O líber (floema) fornece fibras para a cordoaria e para a fabricação de tecidos.
Habitat: Na mata de várzea alta.
Valor terapêutico: O decocto da entrecasca é adstringente, depu-rativo, anti-sifilítico, desobstruente do fígado e bom contra as dermato-ses.
O macerado da entrecasca tem aplicação contra a queda do cabelo e as afecções parasitárias do couro cabeludo.
O decocto da casca ê vulnerário: serve para lavar feridas velhas.
Em xarope, a entrecasca é eficaz nos casos de bronquite, asma, tosse,
pneumonia e outras afecções das vias respiratórias.



sexta-feira, 10 de junho de 2016

MUSSAMBÉ-BRANCO (Cleome heptaphylla)

MUSSAMBÉ-BRANCO (Cleome heptaphylla)

732 MUSSAMBÉ-BRANCO (Cleome heptaphylla)
Família: Caparidáceas.
Características: Arbusto pequeno, esgalhado.
Folhas lanceoladas, verde-opacas.
Flores brancas, aromáticas.
Fruto: síliqua.
Habitat: Nos Estados do Nordeste, nas margens dos rios e lagos.
Valor terapêutico: O decocto é considerado bom remédio contra a hérnia.
Em banhos de assento é usado contra as hemorróidas.


MUSSAMBÉ DE-ESPINHOS (Cleome spinosa)

733 MUSSAMBÉ DE-ESPINHOS (Cleome spinosa)
Família: Caparidáceas.
Sinonímia: Mussambé-de-sete-folhas, bredo-fedorento.
Características: Arbusto pequeno.
Folhas dotadas de espinhos nos pecíolos e junto à base destes.
Flores róseas.
Habitat: Nas margens dos rios e lagos, em quase todos os Estados do Brasil.
Valor terapêutico: As folhas, em infusão, são estomáquicas e estimulantes do aparelho digestivo, úteis contra a blenorragia, eficazes na leucorréia.
Externamente, aplicam-se como vulnerárias nas feridas, chagas,
etc.
São utilizadas, também, para reduzir as orquites.
O sumo das folhas tem aplicação nas otites supuradas.




quinta-feira, 9 de junho de 2016

MURURÉ-REDONDINHO (Cabomba aquatica) remédio contra a hérnia.

MURURÉ-REDONDINHO (Cabomba aquatica) remédio contra a hérnia.

731 MURURÉ-REDONDINHO (Cabomba aquatica)
Família: Ninfeáceas.
Sinonímia: Mureru.
Características: Planta herbácea, ornamental.
Flores amarelas, em estrelas.
Habitat: Amazônia, Nordeste, S. Paulo, etc.
Valor terapêutico: As folhas são adstringentes: utilizam-se nas disenterias e nas hemorróidas.


quarta-feira, 8 de junho de 2016

MURURÉ estimulante dos sistema nervoso e muscular

MURURÉ estimulante dos sistema nervoso e muscular

730 MURURÉ (Brosimopsis acutifolia)
Família: Moráceas.
Sinonímia: Moruré, mureru, mercúrio-vegetal.
Características: Árvore grande.
Madeira amarelo-pardacento-clara, com estrias castanho-avermelhadas. Dá um látex cor de tijolo.
Habitat: Na mata de terra firme, em terrenos argilosos.
Valor terapêutico: O látex é depurativo, anti-sifilítico e
estimulante dos sistema nervoso e muscular.
Tem efeito notável no tratamento do reumatismo de origem sifilítica e de certos casos de lepra.
Tomam-se, por dia, uns 5 gramas de seiva diluída em chás de outras plantas que tenham virtudes medicinais análogas.



terça-feira, 7 de junho de 2016

MURUPITÁ Os frutos são venenosos.

MURUPITÁ Os frutos são venenosos.

729 MURUPITÁ (Sapium biglandulosum, sapium lanceolatum, Sa-pium curupita)
Família: Euforbiáceas.
Sinonímia: Curupitá, tapuru, pau-de-bicho, leiteira, burra-leite ira, seringarana.
Características: Árvore média.
Fornece o tapuru (um látex para borracha).
Habitat: Nas várzeas ou na terra firme.
As espécies que vegetam na terra firme são menos leiteiras que as das várzeas.
Comum no Amazonas e no Mato Grosso.
Valor terapêutico: Aplica-se o látex contra as úlceras, os ingurgi-tamentos ganglionares e as picadas de arraia.
É cáustico.
As folhas são usadas para combater a sarna.
Os frutos são venenosos.



segunda-feira, 6 de junho de 2016

MURU (Canna aurantiaca) É uma planta diurética.

MURU (Canna aurantiaca) É uma planta diurética.

728 MURU (Canna aurantiaca)
Família: Canáceas.
Sinonímia: Caeté, chiquechique.
Características: Planta herbácea, ornamental.
Habitat: Medra em muitos Estados do Brasil: Rio, Minas, Espírito Santo, Pará, Amazonas, etc.
Valor terapêutico: É uma planta diurética.




domingo, 5 de junho de 2016

MURTA-DE-CHEIRO (Murraya exótica) tônica

MURTA-DE-CHEIRO (Murraya exótica) tônica

727 MURTA-DE-CHEIRO (Murraya exótica, Chalcas japonica, Mar-sana buxifolia)
Família: Rutáceas.
Sinonímia: Jasmim-laranja, murta-dos-jardins, bucho-da-china.
Características: Árvore pequena, copada.
Folhas imparipenadas.
Folíolos oval-elípticos, verde-escuros, luzentes.
Flores brancas, miúdas, em corimbos terminais.
Habitat: Cultivada nos jardins.
Valor terapêutico: Tanto a casca como as folhas, em decocção,
têm propriedades estimulantes, tônicas e adstringentes.



sábado, 4 de junho de 2016

MURTA-CULTIVADA (Myrtus communis)

MURTA-CULTIVADA (Myrtus communis)

726 MURTA-CULTIVADA (Myrtus communis)
Família: Mirtáceas.
Sinonímia: Murta-vulgar, murta-cheirosa, mirto.
Características: Arbusto de caule erecto.
Folhas pequenas, opostas, inteiras, coriáceas, de pecíolo curto e limbo oval-lanceolado, crivado de pontuações glandulares.
Florezinhas alvíssimas, regulares e hermafroditas.
Apresentam-se solitárias, insertas nas axilas das folhas superiores. O fruto é uma baga globulosa, azulada, com um cálice mais ou menos espesso na parte terminal.
Sementes reniformes.
Valor terapêutico: Tem várias aplicações:
"O povo usa interna ou externamente a casca dos ramos novos e as folhas,
como adstringente, tônico e estimulante (atonia gastro-intestinal),
e as bagas como tônicas, vulnerárias e sudoríficas.
Para uso interno emprega-se o infuso da casca dos ramos ou das folhas a 30:1000...
Para uso externo emprega-se o cozimento das bagas a 50:1000,
(entorses, luxações, sarna, etc.)."
Dr. Raul O. Feijão.
Para tonificar o organismo e estimular as forças decaídas, o Dr.
Leo Manfred recomenda duas xícaras diárias do infuso (20:1000) dessa planta.
As folhas secas, reduzidas a pó, aplicam-se, nos recém-nascidos, sobre o umbigo, após a queda do cordão umbical, quando a cicatriza-ção parece demorar-se.
Em banhos, a murta é excelente na anemia, na neurastenia, nas enfermidades reumáticas e na elefantíase.
O infuso das folhas (30:1000) ê bom lavativo na leucorréia.




sexta-feira, 3 de junho de 2016

MURICI-VERMELHO (Byrsonima spicata) nas diarréias e disenterias.

MURICI-VERMELHO (Byrsonima spicata) nas diarréias e disenterias.

725 MURICI-VERMELHO (Byrsonima spicata)
Família: Malpiguiáceas.
Sinonímia: Pau-de-cortume.
Características: Árvore pequena. A casca, que encerra matéria corante e taninos, é aproveitada nos cortumes.
Valor terapêutico: A casca e fruto são adstringentes:
Usam-se nas diarréias e disenterias.



quinta-feira, 2 de junho de 2016

MURICI-DA-MATA (Byrsonima crispa) para combater a tuberculose.

MURICI-DA-MATA (Byrsonima crispa) para combater a tuberculose.

723 MURICI-DA-MATA (Byrsonima crispa)
Família: Malpiguiáceas.
Características: Árvore média.
Fruto comestível.
Habitat: Na mata de terra firme.
Valor terapêutico:
A casca é febrífuga, adstringente, tônica e útil para combater a tuberculose.

MURICI-DO-CAMPO (Byrsonima crassifolia)

724 MURICI-DO-CAMPO (Byrsonima crassifolia)
Família: Malpiguiáceas.
Características: Árvore pequena, torta.
Frutos apreciados para doces.
Habitat: No litoral e nos campos altos.
Valor terapêutico: A casca desse murici é antifebril, adstringente,
tônica e útil contra a tuberculose.



quarta-feira, 1 de junho de 2016

MURICI-CASCUDO (Byrsonima verbascifolia)

MURICI-CASCUDO (Byrsonima verbascifolia)

722 MURICI-CASCUDO (Byrsonima verbascifolia)
Família: Malpiguiáceas.
Sinonímia: Murici-rasteiro, murici-pequeno, murixi, orelha-de-vea-do, pau-de-semana, douradinha-falsa.
Características: Arbusto.
Folhas ovais, lustrosas.
Flores de pontas avermelhadas, em cachos terminais.
Fruto redondo, amarelo, comestível, parecido com a pimenta-de-cheiro.
Habitat: Em todo o Brasil.
Valor terapêutico: A planta toda é emética e diurética.
A casca é antifebril. O fruto, agridoce, é purgativo.