domingo, 31 de julho de 2016

PÉ-DE-GALINHA (Panicum dactylon) catarro das vias respiratórias.

PÉ-DE-GALINHA (Panicum dactylon) catarro das vias respiratórias.

790 PÉ-DE-GALINHA (Panicum dactylon)
Família: Gramíneas.
Sinonímia: Capim-pé-de-galinha.
Com este nome çonhecenvse várias outras plantas da família das gramíneas, de gêneros diversos.
Valor terapêutico: O decocto da raiz é útil aos que sofrem de
catarro das vias respiratórias.
É eficaz também como resolutivo.



sábado, 30 de julho de 2016

PAU-TERRA (Qualea cordata)

PAU-TERRA (Qualea cordata)

789 PAU-TERRA (Qualea cordata)
Família: Voquisiáceas.
Sinonímia: Dedaleira-preta.
Características: Árvore.
Madeira usada na construção de embarcações.




sexta-feira, 29 de julho de 2016

PAU-ROXO (Peltogyne discolor) na confecção de ungüentos

PAU-ROXO (Peltogyne discolor) na confecção de ungüentos

787 PAU-ROXO (Peltogyne discolor)
Família: Leguminosas.
Sinonímia: Guarabu, muirabi.
Características: Árvore.
Madeira roxo-escura, aromática, durável.
Valor terapêutico: Extrai-se do pau-roxo um bálsamo que se utiliza
na confecção de ungüentos.


PAU-SANTO (Kielmeyera speciosa)

788 PAU-SANTO (Kielmeyera speciosa)
Família: Gutíferas ou Gutiferáceas.
Sinonímia: Pinhão, folha-santa, malva-do-campo, pau-de-cortiça.
Características: Árvore ramosa.
Folhas alongadas e elípticas.
Flores em cachos.
Fruto capsular.
Habitat: Nos taboleiros de Minas Gerais.
Valor terapêutico: Emprega-se o decocto das folhas, em banhos, como emoliente.




quinta-feira, 28 de julho de 2016

PAU-PEREIRA (Tariri celiata) febrífuga

PAU-PEREIRA (Tariri celiata) febrífuga

786 PAU-PEREIRA (Tariri celiata)
Família: Simarubáceas.
Características: Árvore pequena.
Ramos acinzentados, algo tormentosos.
Folhas grandes, compostas de 15 a 20 folíolos. Não se deve confundir esta planta com outra de igual nome, também chamada camará-de-bilro (Geissospermum sericeum).
Habitat: Encontra-se no Rio de Janeiro e outros Estados.
Valor terapêutico: A casca, em decocção, é eupéptica e febrífuga.



quarta-feira, 27 de julho de 2016

PAU-PEREIRA (Geissospermum sericeum)

PAU-PEREIRA (Geissospermum sericeum)

785 PAU-PEREIRA (Geissospermum sericeum)
Família: Apocináceas.
Sinonímia: Quinarana, acarirana, pau-forquilha, camará-de-bilro, camará-do-mato, canudo-amargoso, pinguaciba.
Características: Árvore pequena ou média.
Tronco cavado como o da acariuba.
Folhas prateadas.
Habitat: Na mata de terra firme, na Amazônia.
Valor terapêutico: A casca amarga é útil nas febres palustres.
Parte usada: Casca.
Dose: 3 a 6 gramas para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia.



terça-feira, 26 de julho de 2016

PAU-PARA-TUDO (Simaba cedron, Quassia cedron)

PAU-PARA-TUDO (Simaba cedron, Quassia cedron)

784 PAU-PARA-TUDO (Simaba cedron, Quassia cedron)
Família: Simarubáceas.
Sinonímia: Quássia-cedro, pau-de-gafanhoto (Maranhão).
Outro idioma: Cedron (Guiana Francesa).
Características: Árvore pequena.
Folhas alternas, glabras, compridas, compostas, imparipenadas, agrupadas num buquê, no topo da árvore.
Folíolos oblongos.
Flor hermafrodita; corola branca.
Grande inflorescência superposta ao buquê de folhas.
Fruto múltiplo, formado de cinco drupas ovóides.
Habitat: Nas capoeiras de terra firme.
Valor terapêutico: As amêndoas são indicadas nos casos de diarréia, disenteria, impaludismo (em substituição à quinina), escrófulas, clorose, debilidade geral.
"Os frutos da Simaba cedron ... são fortemente amargos e muito preconizados contra as mordeduras de cobras venenosas." ÇÉ Dr. L. Beille, Précis de Botanique Pharmaceutique, pág. 603.
Convém saber que as amêndoas são tóxicas em dose elevada.




segunda-feira, 25 de julho de 2016

PAU-FERRO contra diabetes

PAU-FERRO contra diabetes

783 PAU-FERRO (Dialium ferrum, Arauma brasiliensis, Dialium divaricatum)
Família: Leguminosas-cesalpiniáceas.
Sinonímia: Itu, quiri-pininga, jutaí-mirim, jutaí-peba, parajuba, pororoca.
Características: Árvore elevada, de forma piramidal.
Madeira muito dura.
Cerne roxo.
Folhas compostas, de cor verde, ovais, pontiagudas.
Flores em cachos piramidais, como rosinhas amarelas.
O fruto é uma espécie de vagem, comestível.
Valor terapêutico:
A casca é depurativa e diaforética.
Dá bons resultados nos seguintes casos: diabetes, escrófulas, gota, quilúria, reumatismo, sífilis.
Toma-se o suco da casca diluído em água, ou o chá do cozimento da casca.
Dose: 20 gramas para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia.



domingo, 24 de julho de 2016

PAU-DE-TAMANCO (Tabebuia cassinoides) catarro intestinal, diarréia

PAU-DE-TAMANCO (Tabebuia cassinoides) catarro intestinal, diarréia

782 PAU-DE-TAMANCO (Tabebuia cassinoides)
Família: Bignoniâceas.
Sinonímia: Caixeta, tabebuia, taiaverniá.
Característica: Árvore.
Habitat: São Paulo, Rio de Janeiro e outros Estados.
Valor terapêutico:
O decocto da raiz é empregado nos casos de enterite crônica,
catarro intestinal, diarréia, disenteria, inapetência, dispepsia, anemia, clorose.



sábado, 23 de julho de 2016

PAU-DE-PORCO (Rourea induta, Bursera gummifera) vulneraria

PAU-DE-PORCO (Rourea induta, Bursera gummifera) vulneraria

781 PAU-DE-PORCO (Rourea induta, Bursera gummifera)
Família.
Terebintáceas.
Outro idioma: Gammier, Bois de cochon (Antilhas).
Características: Árvore.
Folhas palmadas.
Flores miúdas.
Fruto: drupa.
Valor terapêutico: É uma planta reputada como vulneraria.



sexta-feira, 22 de julho de 2016

PAU-DE-LACRE (Vismia latifolia) A resina ê drástica.

PAU-DE-LACRE (Vismia latifolia) A resina ê drástica.

780 PAU-DE-LACRE (Vismia latifolia)
Família: Gutiferáceas.
Sinonímia: Pau-de-febre, pau-de-sangue.
Características: Árvore pequena. Dá uma goma resinosa (goma-guta americana), utilizada na pintura.
Habitat: Na Amazônia.
Valor terapêutico: A casca é tônica e antifebril. A resina ê drástica.



quinta-feira, 21 de julho de 2016

PAU-DE-COLHER (Tabernaemontana echinata) contra as úlceras

PAU-DE-COLHER (Tabernaemontana echinata) contra as úlceras

779 PAU-DE-COLHER (Tabernaemontana echinata)
Família: Apocináceas.
Sinonímia: Leiteira, árvore-de-leite.
Características: Árvore bem conhecida na Amazônia.
Madeira branca ou branco amarelada, utilizada para forros, caixas, papel.
Valor terapêutico: O decocto das folhas tem a propriedade de moderar
e retardar os batimentos do coração.
A casca tem a mesma aplicação.
A seiva leitosa tem efeito contra as úlceras indolentes.



quarta-feira, 20 de julho de 2016

PAU-D'ARCO-AMARELO (Tecoma speciosa) garganta ulcerada

PAU-D'ARCO-AMARELO (Tecoma speciosa) garganta ulcerada

777 PAU-D'ARCO-AMARELO (Tecoma speciosa, Tecoma ipe, Bignonia longiflora)
Família: Bignoniáceas.
Sinonímia: Ipeúva, piúva, ipê.
Habitat: Medra em diversos Estados do Brasil.
Valor terapêutico: O decocto da casca é aconselhado,
em gargarejos nos casos de estomatite, garganta ulcerada,
angina sifilítica, etc.
Em banhos, emprega-se contra as dermatoses.


PAU DE BOAZ (Piptadenia falcata)

778 PAU DE BOAZ (Piptadenia falcata)
Família: Leguminosas.
Característica: Árvore, cuja casca é utilizada nos cortumes.



terça-feira, 19 de julho de 2016

PAU-D'ARCO (Tecoma conspicua) contra as estomatites

PAU-D'ARCO (Tecoma conspicua) contra as estomatites

776 PAU-D'ARCO (Tecoma conspicua)
Família: Bignoniáceas.
Sinonímia: Ipê, ipeuva (Sul), ipê-tabaco, mãe-tiana.
Características: Árvore que se encontra nas matas de terra firme.
Madeira castanho-pardo ou castanho-ruivo, dura.
Flores grandes, amarelas, que cobrem completamente a copa da árvore em setembro.
Valor terapêutico:
O líber (ou floema) da casca é apregoado como adstringente,
sendo utilizado contra as estomatites e as úlceras da garganta,
de origem, sifilítica.



segunda-feira, 18 de julho de 2016

PAU-D'ALHO (Seguiera alliacea) antiblenorrágico

PAU-D'ALHO (Seguiera alliacea) antiblenorrágico

775 PAU-D'ALHO (Seguiera alliacea, Gallesia guararema, Gallesia gorazema, Gallesia scorododendron, Crataeva gorarema)
Família: Fitolacáceas.
Sinonímia: Cipó-d'alho, guararema, ibirarema, ubirarema.
Características: Arbusto de folhas elípticas e lustrosas.
Enormes sapopemas.
Flores em cachos.
Fruto oblongo, contendo um caroço no interior.
Toda a planta cheira a alho.
Valor terapêutico: O decocto das folhas passa por antiblenorrágico de efeito rápido e certo, vermífugo, anti-hemorroidário e antidar-troso.
Empregam-se as folhas, em forma de cataplasmas, para resolver abscessos e para aliviar as dores reumáticas.
Parte usada: Folhas.
Dose: 20 gramas para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia.



domingo, 17 de julho de 2016

PAU-CARGA (Casearia usucaris) laxante

PAU-CARGA (Casearia usucaris) laxante

774 PAU-CARGA (Casearia usucaris)
Família: Samídeas.
Sinonímia: Pau-carne, camarão, carubi.
Características: Arbusto ramoso.
Casca lisa.
Folhas compostas.
Flores brancas, em feixes. O fruto, menor que a azeitona, é comestível.
Valor terapêutico: O decocto das folhas tem aplicação nas febres intermitentes.
A casca, em decocção, é reputada como laxante e útil nas doenças venéreas.
A raiz é purgativa e antissifilítica.



sábado, 16 de julho de 2016

PAU-CARDOSO (Polypodium pungens) Usa-se nos casos de asma

PAU-CARDOSO (Polypodium pungens) Usa-se nos casos de asma

773 PAU-CARDOSO (Polypodium pungens)
Família: Polipodiáceas.
Características: Planta que se assemelha a uma palmeira pequena.
A casca do tronco é espinhosa.
Valor terapêutico: Usa-se nos casos de asma, catarro pulmonar,
bronquite e coqueluche.



sexta-feira, 15 de julho de 2016

PAU-CAMPECHE (Hematoxylum capechianum) contra as diarréias

PAU-CAMPECHE (Hematoxylum capechianum) contra as diarréias

772 PAU-CAMPECHE (Hematoxylum capechianum)
Família: Leguminosas.
Características: Árvore elevada.
Ramos novos com vestígios de espinhos.
Folhas compostas, alternas, obovais.
Flores amarelas.
Fruto: vagem pequena, com uma semente.
Habitat: Amazônia.
Valor terapêutico: A casca é tônica e tem indicação contra as diarréias
e disenterias.




quinta-feira, 14 de julho de 2016

PAU-BÁLSAMO antiasmático e diurético.

PAU-BÁLSAMO antiasmático e diurético.

771 PAU-BÁLSAMO (Myroxylon touluifera, Toluifera balsamum)
Família: Leguminosas.
Sinonímia: Bálsamo-de-tolu.
Característica: Árvore.
Habitat: Estados do Norte e outras partes.
Valor terapêutico: O bálsamo que se obtém desta árvore chamado bálsamo de tolu, ou bálsamo de São Tomaz, ou bálsamo de Cartagena é reputado como valioso expectorante.
Em xarope ou pastilhas, é bom remédio contra os catarros pulmonares.
É também antiasmático e diurético.




quarta-feira, 13 de julho de 2016

PATAQUERA (Hyptis suaveolens) antiespasmódica

PATAQUERA (Hyptis suaveolens) antiespasmódica

770 PATAQUERA (Hyptis suaveolens)
Família: Labiadas.
Sinonímia: Mentrasto-do-grande, mentrasto-guaçu, melissa-de-pison.
Característica: Planta herbácea.
Habitat: Vegeta nos lugares abertos e muito secos, nos Estados de S.Paulo, Minas, Bahia, Goiás, etc.
Valor terapêutico: É uma planta antiespasmódica, sudorífica e proveitosa contra a gota.



terça-feira, 12 de julho de 2016

PARREIRA DO MATO (Securidaca florida)

PARREIRA DO MATO (Securidaca florida)

769 PARREIRA DO MATO (Securidaca florida)
Família: Poligaláceas.
Características: Pequeno arbusto trepador, parecido com a canina-na.
Folhas pequenas, elípticas, em palmas.
Flores roxas, semelhantes às do feijão, em cachos grandes.
Habitat: É muito freqüente nas zonas litorâneas.
Valor terapêutico: A raiz, em decocção, encerra propriedades emenagogas.



segunda-feira, 11 de julho de 2016

PARREIRA-BRAVA-DO-RIO (Cissampelos fluminensis) nefrolitíase

PARREIRA-BRAVA-DO-RIO (Cissampelos fluminensis) nefrolitíase

768 PARREIRA-BRAVA-DO-RIO (Cissampelos fluminensis)
Família: Menispermáceas.
Sinonímia: Abutua-do-rio.
Características: Planta arbustiva, sarmentosa.
Habitat: É conhecida no Rio e em outros Estados do Brasil.
Valor terapêutico: Tem indicação na nefrolitíase.



domingo, 10 de julho de 2016

PARREIRA-BRAVA Usam-se na hidropisia e na nefrolitíase

PARREIRA-BRAVA Usam-se na hidropisia e na nefrolitíase

767 PARREIRA-BRAVA (Chondodendron tomentosum)
Família: Menispermáceas.
Sinonímia: Abutua, butua.
Sob os nomes aqui indicados conhe-cem-se também várias espécies de Cissampelos.
Característica: Cipó.
Valor terapêutico: A raiz e o caule encerram propriedades febrífugas, emenagogas e diuréticas.
Usam-se na hidropisia e na nefrolitíase.
Externamente, emprega-se com efeitos resolutivos, nas orquites crônicas e nas contusões.



sábado, 9 de julho de 2016

PARIPAROBA (Piper umbellatum) tônica, estimulante

PARIPAROBA (Piper umbellatum) tônica, estimulante

766 PARIPAROBA (Piper umbellatum, Piper sidefolium, Piper hila-rianum, Piper peltatum, Piper macrophyllum, Cisampelos caapeba, Piperonia umbellata, Heckeria umbellata, Potomorphe umbellata)
Família: Piperáceas.
Sinonímia: Capeua, aguaxima, malvaísco, malvarisco, caapeba, caapeba-do-norte, caapeba-verdadeira, catajé.
Há outras plantas igualmente conhecidas pelo nome de caapeba.
Características: Arbusto de até um metro e meio de altura.
Caule nodoso.
Ramos erectos.
Folhas grandes, largas, cordiformes.
Inflo-rescência em pequena espiga.
Flores aromáticas.
Habitat: Nos lugares úmidos, em terrenos cultivados.
Valor terapêutico: A pariparoba tem muitas aplicações na medicina caseira.
As folhas são emolientes, desobstruentes, diuréticas, resolutivas, antiblenorrágicas e tônicas.
Por infusão (20:1000), usa-se o chá das folhas para combater os resfriados.
O mesmo chá se usa para combater o escorbuto e a escrofulose.
Continua-se com o tratamento durante vários meses.
Para combater a atonia estomacal escorbútica, tomam-se 20 gotas do suco das folhas frescas, em um copo com água, duas vezes ao dia.
O suco da pariparoba é bom, também, contra as queimaduras.
As sementes também têm aplicação na medicina.
Secam-se e reduzem-se a pó. Esse pó, misturado com óleo de linhaça, dá bom resultado na pleurisia.
Aplica-se, em forma de cataplasma, nas costas, na região dos pulmões.
A mesma mistura se aplica também sobre tumores e furúnculos, para ajudar e apressar o processo maturativo.
A raiz é sudorífica, antiblenorrágica, tônica, estimulante, estomáquica, diurética e febrífuga.
Emprega-se, por decocção <20:1000), nas moléstias do fígado e do baço, na icterícia, na opilação.



sexta-feira, 8 de julho de 2016

PARIETÁRIA contra as moléstias inflamatórias

PARIETÁRIA contra as moléstias inflamatórias

765 PARIETÁRIA (Parietaria officinalis)
Família: Urticáceas.
Sinonímia: Alfavaca-de-cobra, tiritana, fura-parede.
Características: Erva vivaz, de caule erecto.
Folhas lanceoladas, oblongas, inteiras.
Flores em glomérulos axilares.
Fruto: aquênio, envolto em perianto.
Valor terapêutico: Esta planta é empregada contra as moléstias inflamatórias,
contra a anúria, hidropisia, moléstias das vias urinárias, artrite aguda
ou crônica, afecções catarrais, males dos rins.
As folhas torradas e reduzidas a pó são indicadas para curar feridas.
Parte usada: Folhas.
Dose: 20 gramas para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia.





quinta-feira, 7 de julho de 2016

PARICÁ-DA-TERRA-FIRME (Piptadenia peregrina) é béquica e útil contra os resfriados

PARICÁ-DA-TERRA-FIRME (Piptadenia peregrina) é béquica e útil contra os resfriados

764 PARICÁ-DA-TERRA-FIRME (Piptadenia peregrina)
Família: Leguminosás-mimosáceas
Sinonímia: Paricá-de-curtume, paric á-do-campo, angico (Ceará), niopó (Alto Amazonas).
Características: Árvore média.
Madeira castanho-vermelha.
Fruto: vagem chata, de bordas onduladas, contendo numerosas sementes de 1 cm de diâmetro.
Habitat: Nos campos não inundados.
Valor terapêutico: A casca, em decocção ou maceração, produz efeitos notáveis nos casos de disenteria, hemorragia uterina e blenor-ragia.
A goma que exsuda da casca é béquica e útil contra os resfriados, as bronquites e a pneumonia.



quarta-feira, 6 de julho de 2016

PARATURÁ (Remirea marítima) antiblenorrágico

PARATURÁ (Remirea marítima) antiblenorrágico

763 PARATURÁ (Remirea marítima)
Família: Ciperáceas.
Sinonímia: Barba-de-boi.
Características: Planta herbácea.
As raízes aromáticas produzem sobre a língua uma sensação picante e agradável.
Habitat: À beira dos terrenos paludosos, na vizinhança dos rios e perto d'água salgada.
Valor terapêutico: O infuso da raiz é diurético e diaforético.
O decocto da raiz é antiblenorrágico.



terça-feira, 5 de julho de 2016

PARATUDO (Cinnammodendron axillare) estomáquica e febrífuga.

PARATUDO (Cinnammodendron axillare) estomáquica e febrífuga.

760 PARATUDO (Cinnammodendron axillare)
Família: Lauráceas.
Sinonímia: Casca-paratudo, paratudo-aromático.
Há também outras plantas conhecidas pelo nome de paratudo.
Características: Árvore.
Casca leve, quebradiça, granulosa, ama-relo-alaranjada, amarga.
Valor terapêutico:
A casca é reputada como estimulante, estomáquica e febrífuga.


PARATUDO (Gomphrena officinalis, Gomphrena macrocephala)

761 PARATUDO (Gomphrena officinalis, Gomphrena macrocephala)
Família: Amarantáceas.
Sinonímia: Paratudinho, perpétua, raiz-do-padre-salerma, raiz-do-padre-sabino.
Características: Planta herbácea.
Três ou quatro pares de folhas opostas, elíptico-lanceoladas, revestidas de pêlos longos e amarelados, numa haste curta, que termina com um grande capítulo floral amare-lo-alaranjado.
Habitat: Medra em Minas e outros Estados.
Valor terapêutico: O hipogeu (caule subterrâneo) tuberoso é indicado como febrífugo e tônico, sendo também usado para combater as colites e enterites.

PARATUDO (Winteriana canella)

762 PARATUDO (Winteriana canella)
Família: Gutiferáceas.
Sinonímia: Canela-branca.
Características: Árvore de uns 5 metros de altura.
Folhas ovais, reviradas, alternas.
Flores azul-claras, em cachos.
Fruto: baga contendo alguns caroços.
Valor terapêutico: A casca, em decocção, é valioso febrífugo; em gargarejos, é útil nos casos de escorbuto e amígdalas ulceradas.




segunda-feira, 4 de julho de 2016

PARACAXI aplica-sé sobre úlceras e feridas.

PARACAXI aplica-sé sobre úlceras e feridas.

759 PARACAXI (Pentaclethra filamentosa)
Família: Leguminosas mimosáceas.
Sinonímia: Pracaxi, paraná-cachê, parauá-cochi.
Características: Árvore grande.
Folhas pinadas.
Folíolos lineares, agudíssimos.
Flores brancas, em espigas grandes.
Fruto: vagem grande, chata.
Habitat: Nos igapós e na terra firme, humosa, dos estuários e do litoral.
Encontra-se na Amazônia.
Valor terapêutico: A casca é adstringente: usa-se contra as diarréias e disenterias.
O pó da casca é vulnerário: aplica-sé sobre úlceras e feridas.
As sementes (amêndoas oleaginosas) também são vulnerárias.
O embrião da amêndoa é venenoso.



domingo, 3 de julho de 2016

PARACARI nas dermatoses, eczemas

PARACARI nas dermatoses, eczemas

758 PARACARI (Peltodon radicans, Clinopodium repens, Stemodia viscosa)
Família: Labiadas.
Sinonímia: A planta que, em Monte Alegre, se chama paracari, é, em outras partes, chamada pelos seguintes nomes: mentrasto (Alagoas), meladinha (Pernambuco), erva-de-são-joão (Rio de Janeiro). Também é conhecida por hortelã-brava, hortelã-do-mato, hortelã-do-brasil, boicaá, poejo-rateiro, são-pedro-cão.
Características: Erva rasteira. Dá na areia seca.
Caule tetragonal.
Ramos opostos.
Folhas simples, opostas, ovais, agudas.
Cheira em parte a hortelã e em parte a erva-cidreira.
Flores arroxeadas, axilares, dispostas em calátides ou corimbos.
Toda a planta exsuda um suco leitoso.
Usa-se como condimento.
Seca, tem um cheiro agradável, pelo que se coloca entre a roupa para guardá-la das traças.
Habitat: Na areia seca.
Valor terapêutico: É uma planta carminativa, diurética e peitoral.
Emprega-se nos casos de asma, catarro pulmonar, coqueluche.
Usa-se também, em dose bem mais forte, contra mordeduras venenosas.
Tem aplicação, igualmente, nas dermatoses, eczemas, impigens, tinha.
Partes usadas: Talos e folhas.
Dose: 20 gramas para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia.



sábado, 2 de julho de 2016

PAPOULA-ESPINHOSA (Argemone mexicana) Contra as oftalmias

PAPOULA-ESPINHOSA (Argemone mexicana) Contra as oftalmias

757 PAPOULA-ESPINHOSA (Argemone mexicana)
Família: Papaveráceas.
Sinonímia: Papoula-de-espinho, papoula-do-méxico, erva-de-car-do-amarelo,
figueira-do-inferno, cardo-santo (não confundir com o verdadeiro cardo-santo, que é o Cnicus benedictus):
Outros idiomas: Argemona mexicana (Argentina), Argemone du méxique (França),
Prickly poppy (Inglaterra).
Características: Erva de lindo aspecto.
Folhas sinuadas, glaucas.
Flores amarelas.
Fruto: cápsula angulosa, espinhosa.
Habitat: Muito comum no Brasil.
Valor terapêutico: Contra as oftalmias e as úlceras aplica-se o suco leitoso,
amarelado, da planta.
Para combater a cistite, usa-se a raiz e a haste, em chás.
Nos casos de asma emprega-se o infuso das sementes
(uma colher das de café de sementes numa xícara contendo água fervendo).




sexta-feira, 1 de julho de 2016

PAPA-TERRA (Posoqueria latifolia) antifebril e tônica

PAPA-TERRA (Posoqueria latifolia) antifebril e tônica

755 PAPA-TERRA (Posoqueria latifolia)
Família: Rubiáceas.
Sinonímia: Açucena-do-campo.
Características: Árvore pequena.
Flores grandes, brancas, numerosas, que exalam um perfume muito penetrante.
Valor terapêutico: A casca é antifebril e tônica.


PAPO-DE-PERU (Aristolochia brasiliensis)

756 PAPO-DE-PERU (Aristolochia brasiliensis)
Família: Aristoloquiáceas.
Característica: Planta trepadeira.
Valor terapêutico: Tem as mesmas aplicações medicinais da angelicó.