quarta-feira, 31 de agosto de 2016

QUEIMADURA (Jatropha herbacea) drásticas

QUEIMADURA (Jatropha herbacea) drásticas

836 QUEIMADURA (Jatropha herbacea)
Família: Euforbiáceas.
Sinonímia: Pinha, pinhão-bravo, pinhão-de-cerca.
Características: Planta herbácea.
Caule revestido de espinhos pungentes.
Folhas alternas, em trinos.
Flores em cachos.
Fruto constante de três gomos roliços.
Valor terapêutico:
As sementes são drásticas, sendo que uma única basta para produzir
forte efeito purgativo numa pessoa adulta.



terça-feira, 30 de agosto de 2016

QUEBRA-PEDRA (Phyllanthus niruri) dissolve as areias e cálculos.

QUEBRA-PEDRA (Phyllanthus niruri) dissolve as areias e cálculos.

835 QUEBRA-PEDRA (Phyllanthus niruri)
Família: Euforbiáceas.
Sinonímia: Arrebenta-pedra, erva-pombinha, saxifraga.
Características: Erva anual.
Haste erecta, fina, ramosa.
Ramos alternos.
Folhas ovais, alternas, pequenas, simulando os folíolos de uma folha imparipenada.
Flores amarelo-esverdinhadas, dióicas.
Fruto trilocular, com duas sementes em cada loja.
Valor terapêutico:
Como o próprio nome indica, esta planta dissolve as areias e cálculos.
É diurética, fortificante do estômago, aperiente.
Emprega-se nas cólicas renais, cistites, enfermidades crônicas da bexiga, hidropisia, distúrbios da próstata.
Em alguns lugares usam-se as folhas e sementes como remédio específico contra a diabetes.
Parte usada: Toda a planta.
Dose: 10 gramas para 1 litro de água; duas a três xícaras por dia.




segunda-feira, 29 de agosto de 2016

QUÁSSIA (Quassia amara) nos cálculos do fígado e dos rins

QUÁSSIA (Quassia amara) nos cálculos do fígado e dos rins

833 QUÁSSIA (Quassia amara)
Família: Simarubâceas.
Sinonímia: Quássia-amarga, quássia-de-caiena, pau-de-surinã, quina, pau-amargo.
Outro idioma: Bois cayan (Guiana Francesa).
Características: Arbusto ou árvore pequena.
Casca cinzenta.
Lenho branco-amarelado.
Folhas alternas, compostas de três ou cinco folíolos sésseis, oblongos, ponteagudos, glabros, inteiros.
Pecíolo comum, alado.
Flores escarlates, em cachos.
Fruto semelhante ao do cafeeiro.
Valor terapêutico:
É indicada na blenorragia, cálculos do fígado e dos rins, debilidade do estômago, diarréia, dispesia, flatulência, esper-matorréia, febres.
Prepara-se por maceração. Põem-se 5 a 6 gramas de madeira, casca ou raiz em 1 litro de água.
Deixam-se repousar durante alguns dias, até que a água fique bem impregnada dos princípios ativos da planta.
Toma-se uma pequena xícara entre uma e outra refeição.
Quando se trata de diarréia, escusado é dizer, suspendenvse as refeições até que a diarréia passe.
As raspas de molho em meio litro de água quente (pequena infusão), durante meia hora, são indicadas contra o oxíurio.
Uma hora antes, porém, deve tomar-se uma lavagem de dois litros de água meio morna, em que se tenha dissolvido uma colherada de sal de cozinha.
Partes usadas: Casca, raiz e madeira.


QUÁSSIA-CHEIROSA (Quassia suaveolens, Simaba suaveolens)

834 QUÁSSIA-CHEIROSA (Quassia suaveolens, Simaba suaveolens)
Família: Simarubáceas.
Característica: Arbusto ou árvore pequena.
Valor terapêutico:
É uma planta apregoada como febrífuga e esto-máquica.
É mui útil contra as dispepsias.



domingo, 28 de agosto de 2016

PURGA-DE-CAIAPÓ (Cayaponia globosa) são muito drásticas.

PURGA-DE-CAIAPÓ (Cayaponia globosa) são muito drásticas.

829 PURGA-DE-CAIAPÓ (Cayaponia globosa)
Família: Cucurbitáceas.
Sinonímia: Purga-de-caiapó-de-santos.
Características: Planta trepadeira.
Fruto redondo e amarelo.
Valor terapêutico:
As sementes contidas no fruto são muito drásticas.
Introduzidas em lavagens intestinais, em doses elevadas, produzem hemorragia.
Meio fruto geralmente basta para trazer bom efeito purgativo.

PURGA-DE-CARIJÓ (Perianthopodus carijo)

830 r- PURGA-DE-CARIJÓ (Perianthopodus carijo)
Família: Cucurbitáceas.
Características: Planta trepadeira.
Raiz tuberosa.
Fruto vermelho.
Habitat: Mato Grosso.
Valor terapêutico:
É fortemente purgativa.

PURGA-DE-CEREJA (Cayaponia cordifolia)

831 PURGA-DE-CEREJA (Cayaponia cordifolia)
Família: Cucurbitáceas.
Característica: Planta trepadeira.
Habitat: Vulgar nos Estados do Rio e de Minas.
Valor terapêutico:
Tem propriedades drásticas.
Parte usada: Fruto.

PURGA-DO-GENTIO (Cayaponia diffusa)

832 PURGA-DO-GENTIO (Cayaponia diffusa)
Família: Cucurbitáceas.
Característica: Planta trepadeira.
Habitat: Conhecida nos Estados de S. Paulo e Rio.
Valor terapêutico:
Tem virtudes purgativas.
Parte usada: Fruto.



sábado, 27 de agosto de 2016

PUÇA (Cissus antiparaliticus) no tratamento das paralisias.

PUÇA (Cissus antiparaliticus) no tratamento das paralisias.

827 PUÇA (Cissus antiparaliticus)
Família: Vitáceas.
Sinonímia: Erva-dos-muros.
Característica: Planta trepadeira.
Habitat: Vegeta no Maranhão e noutros Estados.
Valor terapêutico:
As folhas têm indicação no tratamento das paralisias.

PUNTORIA-DA-CALÁBRIA (Putoria calabrica, Asperula calabrica, Sherardia foetida, Ernodea montana, Pavetta foetidissima)

828 PUNTORIA-DA-CALÁBRIA (Putoria calabrica, Asperula calabrica, Sherardia foetida, Ernodea montana, Pavetta foetidissima)
Família: Rubiáceas.
Características: Arbusto ramoso.
Ramos aveludados.
Folhas alongadas, obtusas, glabras.
Flores purpúreas, em fascículos terminais.
Valor terapêutico:
Contém virtudes adstringentes e antiespasmódicas.



sexta-feira, 26 de agosto de 2016

PRÍMULA (Prímula officinalis) tem indicação na gota e no reumatismo.

PRÍMULA (Prímula officinalis) tem indicação na gota e no reumatismo.

826 PRÍMULA (Prímula officinalis)
Família: Primuláceas.
Sinonímia: Primavera, pão-e-queijo.
Características: Planta vivaz.
Rizoma curto, emitindo Certo número de radicelas.
Do cimo do rizoma partem folhas formando uma rosa. São ovais, ou oval-alongadas, longamente atenuadas em pecío-lo, aveludadas na face inferior, onde são percorridas por nervuras salientes.
Flores sobre longo pedúnculo radical, em cimeiras. Cálice branco-esverdeado, anguloso.
Corola tubular terminada em 5 lobos rotados, amarelos.
Aroma agradável.
Valor terapêutico:
As folhas podem ser usadas cruas, em saladas.
São muito saudáveis.
Emprega-se, com bom resultado, na bronquite e pneumonia.
A prímula é depurativa do sangue; tem indicação na gota e no reumatismo.
Ê também calmante.
Emprega-se nos casos de excitação, nervosi-dades, etc.
É indicada nos espasmos do estômago e na tosse espasmódica.
A raiz é eficaz contra as pedras da bexiga e dos rins.
As folhas machucadas, bem como as flores, se aplicam em cata-plasmas sobre inchações, contusões, etc., para aliviar a dor.
Parte usada: Toda a planta.
Dose: Folhas, 30 gramas; ou raízes, 10 gramas; ou flores, 10 gramas para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia.




quinta-feira, 25 de agosto de 2016

POLÍGALA (Polygala fimbriata) A raiz é vomitiva

POLÍGALA (Polygala fimbriata) A raiz é vomitiva

824 POLÍGALA (Polygala fimbriata)
Família: Poligaláceas.
Característica: Planta herbácea ou arbustiva.
Habitat: É conhecida nos Estados do Rio, Espírito Santo, Bahia, etc.
Valor terapêutico:
A raiz, em decocção, é diurética e vomitiva.

POLÍGALA-DE-FLORES-EM-PANÍCULA (Polygala paniculata)

825 POLÍGALA-DE-FLORES-EM-PANÍCULA (Polygala paniculata)
Família: Poligaláceas.
Características: Planta herbácea.
Flores brancas, miudinhas, em panículas.
Habitat: Medra nos lugares cultivados.




quarta-feira, 24 de agosto de 2016

POEJO acidez e ardor do estômago

POEJO acidez e ardor do estômago

823 POEJO (Mentha pulegium, Pulegium vulgare, Cunila Microce-phala)
Família: Labiadas.
Sinonímia: Erva-de-são-lourenço.
Características: Planta rasteira.
Folhas pequenas, ovais, opostas, inteiras, obtusas, de pecíolos curtos.
Cheiram a hortelã. Junto às folhas principais, aparecem, transversalmente, dois pares de folhinhas, bem mais miúdas, dispostas face a face.
Flores roxo-claras, cheirosas.
Valor terapêutico:
Usa-se para: acidez e ardor do estômago, afecções das vias respiratórias,
arrotos, catarro em geral, debilidade geral, debilidade do sistema nervoso,
diarréia, enjôo, estorvos no estômago e intestinos, fermentações, hidropisia, insônia, irregularidades na menstruação, tosse, ventosidade.
Parte usada: A planta toda, fresca e florida.
Dose: 20 gramas para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia.



terça-feira, 23 de agosto de 2016

PÓ-DE-MICO (Mucuna pruriens) vermífugos

PÓ-DE-MICO (Mucuna pruriens) vermífugos

822 PÓ-DE-MICO (Mucuna pruriens, Dolichos pruriens, Carpopogon pruriens)
Família: Leguminosas.
Sinonímia: Feijão-café, fava-de-café, café-de-mato-grosso, café-de-minas.
Características: Cipó grande.
Flores violáceo-escuras.
Fruto com linhas salientes, revestido de pêlo aloirado, urticante.
Os pêlos produzem prurido causticante.
Habitat: Minas e outros Estados.
Valor terapêutico:
O pêlos dos frutos são reputados como vermífugos.
O decocto da raiz, em dose elevada, é bom remédio contra a cólera e a hidropisia. É também diurético.



segunda-feira, 22 de agosto de 2016

PIXURIM-GROSSO (Acrodididium puchury-major) tônicas e estimulantes

PIXURIM-GROSSO (Acrodididium puchury-major) tônicas e estimulantes

818 PIXURIM-GROSSO (Acrodididium puchury-major)
Família: Lauráceas.
Sinonímia: Pexorim, puxuri, puxiri, puxurim, louro-puxurim.
Características: Árvore cujo fruto é conhecido por "noz-do-pará".
Madeira amarelo-parda.
Habitat: Nos igapós de água escura.
Valor terapêutico:
As favas de pixurim, tônicas e estimulantes, são empregadas, com êxito,
contra a leucorréia, a diarréia, o meteorismo e a paresia intestinal.

PIXURIM-MIÚDO (Acrodididium puchury-minor)

819 PIXURIM-MIÚDO (Acrodididium puchury-minor)
Família: Lauráceas.
Sinonímia: Pexorim, puxuri, puxiri, puxurim, louro-puxurim.
Características: Árvore.
Madeira amarelo-parda.
Valor terapêutico:
Tem as mesmas aplicações que o pixurim-gros-
so.

PIXURIM-VERDADEIRO (Nectandra puchury, Laurus pichurim, Ocotea pichurim)

820 PIXURIM-VERDADEIRO (Nectandra puchury, Laurus pichurim, Ocotea pichurim)
Família: Lauráceas.
Sinonímia: Noz-moscada-do-pará, pixurim-do-maranhão, fava-pi-xurim, puxurim.
Características: Árvore.
Folhas elípticas, cônicas, glabras, rijas.
Flores em corimbos terminais.
Fruto em forma de baga.
Habitat: Estados do Norte.
Valor terapêutico:
As sementes, que são estimulantes, empregam-se nos casos de diarréia, leucorréia e dispepsia.
Usa-se também, em cataplasmas, nas picadas de insetos.


POAIA-DO-CAMPO-CERRADO (Borreria poaya)

821 POAIA-DO-CAMPO-CERRADO (Borreria poaya)
Família: Rubiáceas.
Característica: Erva.
Habitat: Estados do Sul.
Valor terapêutico:
Tem as mesmas aplicações da ipecacuanha.



domingo, 21 de agosto de 2016

PITANGA (Stenocalyx Michelii)

PITANGA (Stenocalyx Michelii)

815 PITANGA (Stenocalyx Michelii)
Família: Mirtáceas.
Outro idioma: Cerise carrée, Cerise de Cayenne (Guiana Francesa).
Características: Árvore pequena ou arbusto grande.
Flores brancas, muito aromáticas.
Fruto: baga esférica, angulosa (8 a 10 quinas salientes), achatada, vermelha, agridoce, de pele muito fina, comestível.
Habitat: Comum nas restingas; também cultivada.
Valor terapêutico:
As folhas, em infusão ou decocção, são estimulantes, febrífugas, antipalúdicas, anti-reumáticas, adstringentes.
São eficazes especialmente na diarréia das crianças (5 a 10 gramas para uma xícara d'água).

PITEIRA (Fourcroya gigantea)

816 PITEIRA (Fourcroya gigantea)
Família: Amarilidáceas.
Sinonímia: Piteira-fedorenta, piteira-da-terra, caroatá, coroatá, ca-raguatã, crauatá, gravatá, caroá.
Outros idiomas: Aloés vert (França), Bois chandelle, Bois de me-che (Guiana Francesa), Green aloe (Inglaterra).
Características: Planta herbácea, quase acaule.
Folhas de 1 a 2 metros, coriáceas, convexas, com a ponta e as margens aculeadas, contendo fibras para a cordoaria.
Pedúnculo floral seco, de 4 a 8 metros de altura.
Valor terapêutico:
O decocto das folhas, tóxicas, emprega-se como inseticida.
Utiliza-se também contra a gota e as paralisias.
O suco é detersivo: Usa-se para limpar feridas purulentas.
Tem aplicação, igualmente, contra a queda do cabelo.
O infuso da medula do pedúnculo florífero é anti-hidrópico (10:1000), um cálice de duas em duas horas.


PITOMBA (Talisia esculenta)

817 PITOMBA (Talisia esculenta)
Família: Sapindáceas.
Sinonímia: Olho-de-boi.
Características: Árvore pequena.
Sementes dotadas de arilo doce, comestível.
Habitat: No Meio-Norte.
Valor terapêutico:
As sementes, em decocção, depois de removido o embrião, que é tóxico, são úteis contra a diarréia crônica.



sábado, 20 de agosto de 2016

PITA (Agave americana) É uma planta depurativa e estomacal.

PITA (Agave americana) É uma planta depurativa e estomacal.

814 PITA (Agave americana)
Família: Amarilidáceas.
Sinonímia: Piteira, gravatá-açu, corõatá-açu, agave.
Características: Arbusto.
Folhas radicais, em feixes grandes, de um metro ou mais de comprimento, grossas, ensiformes, oblongas, suculentas, com um aguilhão na ponta.
Ela cresce durante uns 4 a 8 anos, e, então, do meio das suas folhas, levanta-se um pedúnculo verde, de 5 a 6 metros de altura.
Suas pequenas flores branco-amarela-dâs, tubulosas, reúnem-se em inflorescências gigantescas e se ramificam como um candelabro.
O fruto é uma cápsula triangular oblonga, contendo inúmeras sementes.
A haste desse panículo fornece, depois de seco, uma medula que se emprega como afiador de navalha.
Habitat: Medra abundantemente por toda parte.
Valor terapêutico:
É uma planta depurativa e estomacal.
Para purificar o-sangue, bem como para limpar e fortalecer o estômago, prepara-se um chá, por infusão, com as suas folhas carnosas, que se, picam em pedacinhos.
Para uma xícara de água, empregam-se dois gramas- das ditas folhas.
Uma xícara por dia é quanto basta.
Toma-se aos goles.
O pó dessa planta se emprega para combater a anemia, enfermidades dos rins e do fígado, e icterícia.
Toma-se uma colherinha das de chá por dia.
O suco se emprega exteriormente para inchaços e feridas.
Ao mesmo chá que indicamos acima, acrescenta-se uma colherinha de mel, e Usa-se para lavar os olhos irritados.
O cozimento das folhas, empregado em forma de loções, é bom para as enfermidades dos olhos em geral.
Parte usada: Toda a planta.





sexta-feira, 19 de agosto de 2016

PIRANGA (Bignonia chica)

PIRANGA (Bignonia chica)

813 PIRANGA (Bignonia chica)
Família: Bignoniáceas.
Sinonímia: Carajuru.
Característica: Arbusto.
Habitat: Norte, do Brasil.
Valor terapêutico:
As folhas e a matéria corante têm aplicação contra a disenteria'.
Usam-se também, interna e externamente, contra as impigens.



quinta-feira, 18 de agosto de 2016

PIQUIÁ (Caryocar villosum) diurético e antifebril

PIQUIÁ (Caryocar villosum) diurético e antifebril

812 PIQUIÁ (Caryocar villosum)
Família: Cariocaráceas.
Sinonímia: Piquiá-eté, pequeá, suarr.
Outros idiomas: Arbre à beurre (Guiana Francesa), Bats souari (Inglaterra).
Características: Árvore grande.
Tronco enorme.
Flores amarelo-claras. O fruto, do tamanho de uma laranja grande, apresenta uma casca acinzentada, espessa, carnuda, que envolve uma ou várias bagas nefróides, formadas por uma polpa amarela, aderente a um caroço lenhoso, o qual encerra uma amêndoa comestível, muito apreciada. A polpa, cozida, às vezes algo amargosa, também é comestível.
Habitat: Na mata virgem, grande, de terra firme, na Amazônia.
Valor terapêutico:
O infuso da casca é diurético e antifebril.




quarta-feira, 17 de agosto de 2016

PIPI (Petiveria alliacea, Petiveria tetrandra) antiespasmódica

PIPI (Petiveria alliacea, Petiveria tetrandra) antiespasmódica

810 PIPI (Petiveria alliacea, Petiveria tetrandra)
Família: Fitolacáceas.
Sinonímia: Erva-de-pipi, tipi, tipi-verdadeiro, amansa-senhor, mu-cura-caá, guiné, erva-de-guiné, raiz-de-guiné.
Outro idioma: Vermine Puante, Herbe aux Poules (Guiana Francesa).
Características: ^Subarbusto de até um metro e meio de altura.
Ramos erectos, algo sarmentosos.
Folhas alternas, elípticas, atenuadas na extremidade livre, lisas.
Flores brancas, em espigas terminais.
Fruto: pequena capsula terminal.
Toda a planta, especialmente a raiz, cheira a alho.
Valor terapêutico:
Esta planta é tida como antiespasmódica, diuré-tica, emenagoga, estimulante, sudorífica, e útil nos casos de hidropi-sia, artrite, cefalalgia, falta de memória.
Para esses fins é usada em doses mínimas: um a dois gramas para 1 litro de água.
Note-se bem: esse é o uso, mas não é nossa recomendação.
Desaconselhamos o uso interno desta planta, por ser tóxica, especialmente a raiz.
A raiz é mais ativa que as folhas.
Conhecendo os efeitos desta planta, muitas mulheres a empregam criminosamente como abortivo.
"A raiz em pó, em doses fracionadas, determina, a princípio,
superexcitação, insônia, alucinações;
depois manifesta-se indiferença e até imbecilidade;
em seguida, amolecimento cerebral, convulsões tetaniformes, mudez por paralisia
da laringe e a morte, depois de um ano, mais ou menos, conforme as doses."
Paul Le Cointe, Árvores e Plantas Úteis, págs. 307 e 308.
O caboclo brasileiro tem muita fé nos efeitos dessa planta, pelo que freqüentemente tem um "pezinho" plantado junto do seu rancho de sapé.
Sabe dos seus efeitos anestesiantes, e, como o dentista em geral se encontra
distante, acalma a dor de dente com um palito de raiz de pipi.
Externamente o pipi tem diversas aplicações analgésicas.
Empregam-se as folhas machucadas, em cataplasmas, para acalmar as dores de cabeça, dores reumáticas, etc.
As folhas podem ser empregadas como inseticidas.


PIPIRI (Rhynchospora storea)

811 PIPIRI (Rhynchospora storea)
Família: Ciperáceas.
Sinonímia: Piripiri, peperi.
Características: Planta herbácea.
Caule triangular, lustroso.
Folhas invaginantes.
Habitat: Nos lugares úmidos e pantanosos, nos Estados do Nordeste.
Valor terapêutico:
Os caules, secos ou tostados e pulverizados, são usados para estancar as hemorragias.
Em água, com um pouco de açúcar, o pó dos caules moídos é bom, também, contra a disenteria.



terça-feira, 16 de agosto de 2016

PINHEIRO-DO-PARANÁ (Araucaria brasiliensis) para anemia

PINHEIRO-DO-PARANÁ (Araucaria brasiliensis) para anemia

808 PINHEIRO-DO-PARANÁ (Araucaria brasiliensis)
Família: Coníferas.
Sinonímia: Pinheiro-do-brasil, pinhão.
Características: Árvore elegante, de configuração piramidal.
Habitat: Estados do Sul.
Valor terapêutico:
Emprega-se nos casos de anemia, debilidade e escrófulas.
Parte usada: Folhas.
(Escrófula: Adenite cervical tuberculosa,
caracterizada por alterações da pele e das mucosas e tumefações ganglionares. )


PIPEROCA (Cyperus sanguineo-fuscus)

809 PIPEROCA (Cyperus sanguineo-fuscus)
Família: Ciperáceas.
Característica: Planta herbácea.
Valor terapêutico:
O rizoma é febrífugo.



segunda-feira, 15 de agosto de 2016

PINHÃO-DO-PARAGUAI (jatropha curcas) curar feridas

PINHÃO-DO-PARAGUAI (jatropha curcas) curar feridas

807 PINHÃO-DO-PARAGUAI (jatropha curcas)
Família: Euforbiáceas.
Sinonímia: Pinhão-de-purga, pinhão-da-índia, pinhão-bravo, pinhão-das-barbadas, mandubi-guaçu, pião, medicineira, figo-do-inferno, purgueira.
Características: Arbusto de 2 a 3 metros de altura.
Tronco liso, lustroso, verde-claro, com escamas.
Folhas longipecioladas, recortadas, em forma de palmas.
Inflorescência em cachos.
Fruto em cápsula trilocular, havendo, em cada lóculo, uma semente oval, branca por dentro, cinzenta por fora e riscada de preto, com uma crista na ponta. A semente é uma amêndoa assaz oleaginosa, dando até 40% de óleo. O óleo, porém, não é comestível.
Usa-se na fabricação de sabões.
Costuma-se plantar o pinhão-do-paraguai junto às cercas.
Valor terapêutico:
O látex incolor é hemostático: emprega-se para fechar e curar golpes e feridas.
A amêndoa, levemente torrada e moída, tomada com água ou com um chá medicinal, adoçado com mel, é fortemente purgativa.
Efeito mais forte ainda tem o óleo extraído da amêndoa; usa-se com o mesmo chá, como drástico e como remédio contra a hidropi-sia.
Não se deve, porém, tomar em grande quantidade, porque, em dose algo elevada, é venenoso.
As folhas também são purgativas.
Partes usadas: Seiva leitosa, amêndoa, óleo, folhas.
Dose: 8 a 10 gotas de azeite da amêndoa.




domingo, 14 de agosto de 2016

PINGUIM (Bromelia pinguim) vermífuga

PINGUIM (Bromelia pinguim) vermífuga

806 PINGUIM (Bromelia pinguim)
Família: Bromeliáceas.
Característica: Erva de folhas quase ao nível da terra, como o ananás.
Valor terapêutico: Encerra propriedades diuréticas e vermífugas.



sábado, 13 de agosto de 2016

PINDOBA (Cocos australis)

PINDOBA (Cocos australis)

805 PINDOBA (Cocos australis)
Família: Palmáceas.
Sinonímia: Pindó, pindoba-do-sul, coqueiro-pindoba.
Características: Palmeira.
Fruto comestível. O caroço fornece um azeite bom para a cozinha e para a iluminação.
Habitat: Vulgar em Alagoas e outros Estados.
Valor terapêutico:
O azeite, emoliente, é aplicado topicamente contra as dores reumáticas.
Com as amêndoas pisadas preparam-se orchatas mui úteis contra a blenorragia, a leucorréia, a diarréia e a hemorragia.



sexta-feira, 12 de agosto de 2016

PINDAÍBA (Xylopia brasiliensis) redução dos gases intestinais

PINDAÍBA (Xylopia brasiliensis) redução dos gases intestinais

804 PINDAÍBA (Xylopia brasiliensis)
Família: Anonáceas.
Sinonímia: Pindaíba-de-folha-pequena, envira, imbira, ibira.
Características: Árvore.
Madeira leve.
Boas fibras para cordoaria.
Frutos usados como condimento em vez da pimenta-do-reino.
Valor terapêutico: É uma planta carminativa.
Parte usada: Sementes, em infusão.
(Carminativo: Diz-se dos remédios usados na redução dos gases intestinais. )


quinta-feira, 11 de agosto de 2016

PIMENTA-DA-JAMAICA (Pimenta officinalis) flatulências

PIMENTA-DA-JAMAICA (Pimenta officinalis) flatulências

802 PIMENTA-DA-JAMAICA (Pimenta officinalis, Pimenta com-munis, Pimenta vulgaris, Pimenta aromática, Myrtus pimenta, Eugenia pimenta)
Família: Mirtâceas.
Sinonímia: Murta-pimenta, pimenta-de-coroa.
Características: Linda árvore ramificada quase a partir do solo, em forma cônica.
Cheira a cravo-da-índia e a canela.
Valor terapêutico:
Os frutos e as sementes são usados, como carminativos, nos casos de flatulências.



PIMENTA DOS NEGROS (Xylopia aromatica) difusivas, estimulantes

803 PIMENTA DOS NEGROS (Xylopia aromatica)
Família: Anonáceas.
Características: Árvore. A casca fornece fibras e estopa.
Valor terapêutico: As sementes são difusivas, estimulantes e carminativas.
"Os frutos ... da Xylopia aromatica ... são utilizados como a cubeba." Dr. L. Beille, Précis de Botanique Pharmaceutique, pág. 315.



quarta-feira, 10 de agosto de 2016

PICÃO-DA-PRAIA útil nas gonorréias

PICÃO-DA-PRAIA útil nas gonorréias

801 PICÃO-DA-PRAIA (Melampodium divaricatum, Plumbago littoralis)
Família: Compostas.
Sinonímia: Carrapicho-da-praia, salsa-da-praia.
Características: Planta herbácea, rasteira.
Haste empubescida.
Folhas opostas, formando ramalhetes em diversos pontos da haste, que emitem raízes adventícias.
As folhas são, outrossim, simples, gla-bras, trapeziformes, e marcadas de grossos dentes no ápice.
Inflores-cência em pequenas calátides axilares de até 20 flores cada.
Flores de cálice tubuloso, monófilo, e com corola de tubo monopétalo, de cor branco-amarelada.
Fruto menospermo, alongado.
Valor terapêutico: Planta útil nas flatulências acompanhadas de cólicas do estômago e intestino, nas afecções do peito, na tosse, no reumatismo articular e muscular, nas palpitações, nas vertigens, nas erisipelas, na icterícia, na anúria.
Dá bom resultado contra o impaludismo.
Atalha as febres palus-tres e qualquer outro tipo de febre.
"Também na gripe como na tosse e nas febres palustres", afirma o
Dr. J. Monteiro da Silva, "o chá de picão-da-praia é indicado com real proveito; sobretudo no paludismo é de efeito seguro.
No norte do Estado do Rio é a planta mais aconselhada e a de melhor efeito nas febres de qualquer natureza.
Na zona paludosa deve ser usada a sua infusão como bebida para prevenir qualquer acesso de impaludismo.
Como bom diurético, é também útil nas gonorréias."
Parte usada: Folhas, em infusão.
Dose: 20 gramas para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia.



terça-feira, 9 de agosto de 2016

PIÃO-ROXO (Jatropha gossypiifolia) purgativas e revulsivas.

PIÃO-ROXO (Jatropha gossypiifolia) purgativas e revulsivas.

800 PIÃO-ROXO (Jatropha gossypiifolia)
Família: Euforbiãceas.
Característica: Arbusto.
Valor terapêutico: A raiz tem aplicação contra a hidropisia e a icterícia.
As sementes são purgativas e revulsivas.



segunda-feira, 8 de agosto de 2016

PERSICÁRIA remédio contra a erisipela

PERSICÁRIA remédio contra a erisipela

799 PERSICÁRIA (Polygonum hydropiper, Polygonum antihoemor-rhoidale, Polygonum punctatum, Polygonum acre)
Família: Poligonáceas.
Sinonímia: Cataia, acataia, pimenta-d'água (Pernambuco) capiço-ba (Alagoas), capetiçoba, erva-de-bicho, pimenta-do-brejo.
Características: Erva de até 1 metro de altura.
Medra geralmente nos banhados, nas margens dos córregos, etc. Nós com riscas vermelhas no caule.
Folhas peninervadas, oblongas, apresentando-se sob a forma de um facão.
Flores pequeninas, brancas, em espigas compridas, axilares ou terminais.
Fruto pequenino, capsular.
Valor terapêutico: A planta toda é usada com muito proveito nos seguintes casos: artritismo, blenorragia, diarréias sangüíneas, disenteria, estrangúria, febres, sífilis, vermes intestinais.
Chá. Dose: 10 gramas para 1 litro de água; uma a duas xícaras por dia.
Em banhos, é um poderoso remédio contra a erisipela.
Tomam-se dois banhos diários, um pela manhã e outro à noite.
Dose: 30 gramas para 1 litro de água.
Emprega-se também contra hemorróidas, em clisteres, para aliviar os ataques hemorroidais.
Dose: 20 gramas para 1 litro de água.
Contra congestões cerebrais, dá bom resultado.
Emprega-se em forma de clisteres.
Dose: 20 gramas para 1 litro de água.
O suco das folhas frescas, 3 gotas em uma colher com água, de duas em duas horas, emprega-se para combater febres perniciosas.
Neste caso aplicam-se também clisteres.
Sendo a persicária de efeito fortemente emenagogo e abortivo, não deve ser usada, é lógico, pelas gestantes.





domingo, 7 de agosto de 2016

PERREXIL (Crithmum maritimum) eupéptica

PERREXIL (Crithmum maritimum) eupéptica

798 PERREXIL (Crithmum maritimum)
Família: Umbelíferas.
Sinonímia: Perrexil-do-mar, funcho-marinho.
Outro idioma: Perejil de mar, Hinojo marino (Argentina, Espanha).
Características: Planta herbácea.
Folhas recortadas, glaucas.
Flores brancas ou amarelo-esverdeadas.
Fruto ovóide.
Valor terapêutico: Encerra propriedades antiescorbúticas, aperientes,
eupépticas, diuréticas, desobstruentes.
Machuca-se a planta, acrescenta-se um pouco de água, coa-se e bebe-se.




sábado, 6 de agosto de 2016

PERPÉTUA (Gomphrena globosa) afecções das vias respiratórias

PERPÉTUA (Gomphrena globosa) afecções das vias respiratórias

797 PERPÉTUA (Gomphrena globosa)
Família: Amarantáceas.
Sinonímia: Suspiro, suspiro-na-bahia, suspiro-roxo, amarantóide-violeta, imortal, amaranto-globoso, perpétua-roxa, sempre-viva.
Características: Planta de cor roxo-viva.
Ramos articulados e pu-bescentes.
Folhas opostas, ovais, lanceoladas, peludas.
Flores longi-pecioladas, esféricas ou alongadas, inodoras.
Habitat: Cultivada nos jardins.
Valor terapêutico: É útil nas afecções das vias respiratórias.
Parte usada: Flores, em infusão.
Dose: 10 gramas para 1 litro de água; 3 a 4 xícaras por dia.



sexta-feira, 5 de agosto de 2016

PEROBA-ROSA (Aspidosperma gomezianum) remédio contra a malária

PEROBA-ROSA (Aspidosperma gomezianum) remédio contra a malária

795 PEROBA-ROSA (Aspidosperma gomezianum)
Família: Apocináceas.
Característica: Árvore.
Valor terapêutico: A casca é apregoada como bom remédio contra a malária.
Usa-se por maceração ou decocção.
São palavras do Dr. J. Monteiro da Silva:
"Poderoso medicamento contra o impaludismo (malária) agudo e crônico.
A sua ação é igual à do próprio quinino, porém não irrita o estômago
nem produz surdez."


PEROBINHA-DO-CAMPO (Leptolobium elegans, Decandria monogynia)

796 PEROBINHA-DO-CAMPO (Leptolobium elegans, Decandria monogynia)
Família: Bignoniáceas.
Características: Arbusto de tronco inclinado.
Folhas alternas, pe-cioladas, dotadas de duas estípulás na base.
Valor terapêutico: A casca, a haste e as folhas, em decocção,
têm indicação na coqueluche, na sífilis, na enxaqueca, na asma,
na histeria, e em todas as afecções nervosas. A casca da raiz é eupéptica.



quinta-feira, 4 de agosto de 2016

PERIQUITEIRA-DA-MATA A casca é aplicada nas contusões.

PERIQUITEIRA-DA-MATA A casca é aplicada nas contusões.

794 PERIQUITEIRA-DA-MATA (Cochiospermum orinocense)
Família: Coclospermáceas.
Sinonímia: Periquiteira-grande-da-terra-firme, algodão-bravo, botu-to, pacoté.
Características: Árvore.
Madeira branca.
Flores grandes, amarelas, que lembram as do algodoeiro.
Sementes helocoidais, cabeludas.
Habitat: Nas capoeiras velhas de terra firme.
Valor terapêutico: A casca é aplicada nas contusões.



quarta-feira, 3 de agosto de 2016

PERIQUITEIRA (Cochlospermum insigne) A raiz é purgativa.

PERIQUITEIRA (Cochlospermum insigne) A raiz é purgativa.

793 PERIQUITEIRA (Cochlospermum insigne)
Família: Coclospermáceas.
Sinonímia: Periquiteira-do-campo, algodão-cravo, algodão-do-ma-to, algodoeiro-do-campo, pacotê, ruibarbo-do-campo, sumaúma-do-igapó, butuá-de-corvo.
Características: Arbusto.
Flores grandes, amarelas.
Na floração a árvore fica desfolhada.
As sementes, envoltas em cerdas sedosas que substituem a paina, fornecem um óleo.
Habitat: Nos campos altos: S. Paulo, Minas, Estados do Norte e Nordeste, etc.
Valor terapêutico: A casca é maturativa: aplica-se nos abscessos.
A raiz é purgativa.



terça-feira, 2 de agosto de 2016

PEDRA-UME-CAÁ (Myrcia sphaerocarpa) diarréia

PEDRA-UME-CAÁ (Myrcia sphaerocarpa) diarréia

792 PEDRA-UME-CAÁ (Myrcia sphaerocarpa)
Família: Mirtáceas.
Característica: Arbusto.
Habitat: Medra nos campos secos do Norte.
Valor terapêutico: As folhas, em decocção, constituem ótimo remédio contra as diabetes (20:1000).
O decocto, tanto das folhas como da raiz, é útil nos casos de diarréia, enterite, hemorragia, colerina, aftas.



segunda-feira, 1 de agosto de 2016

PÉ-DE-PAPAGAIO (Selaginella convoluta) contra a bronquite

PÉ-DE-PAPAGAIO (Selaginella convoluta) contra a bronquite

791 PÉ-DE-PAPAGAIO (Selaginella convoluta)
Família: Selagineláceas.
Sinonímia: Jericó, samambaia, erva-milagrosa.
Características: Planta herbácea.
Suas folhas se encolhem e seus ramos se enrolam como as infrutescências secas de rosa-de-jericó.
Valor terapêutico: O decocto desta planta tem aplicação contra a bronquite, a tosse, a asma.
Dose: 20 gramas para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia.