sexta-feira, 11 de novembro de 2016

TRAPOERABA para o baço e a bexiga

TRAPOERABA para o baço e a bexiga

957 TRAPOERABA (Tradescantia diurética, Tradescantia commelina, Commelina communis)
Família: Comelináceas.
Sinonímia: Trapoeraba-verdadeira (no Sul), tracoeraba, trapoerava, trepoe i raba, oI ho-de-sa n ta- luzia.
Outro idioma: Azier craupaud (Guiana Francesa).
Características: Planta herbácea.
Hastes ramosas, cilíndricas, rasteiras ou erectas.
Folhas alternas, ovais, acuminadas, finamente dentadas.
Das extremidades das folhas partem ramificações que emitem longos pedúnculos carregando cada um 5 a 6 flores azuis.
Valor terapêutico:
Emprega-se, em banhos, contra as afecções herpéticas e dores reumáticas.
Em cataplasmas, é bom contra as hemorróidas.
O suco das folhas frescas, aplicado topicamente, acalma a comichão (prurido dos dartros).
Internamente, a decocção dás folhas dá bom resultado contra as anginas, a hidropisia, a retenção espasmódica da urina, e o reumatismo.
A trapoeraba é muito benéfica para o baço e a bexiga; e seu poder de curar a ascite e a hidropisia merece ser salientado.
Parte usada: Folhas.
Dose: 20 gramas para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia.

TRAPOERABANA (Commelina deficiens)

958 TRAPOERABANA (Commelina deficiens)
Família: Comelináceas.
Sinonímia: Marianinha (Bahia), grama-da-terra (Maranhão).
Características: Planta herbácea.
Colmos cilíndricos e nodosos.
Folhas de bainha amplexicaule, inteiras, lanceoladas.
Flores hermafro-ditas.
Habitat: Habita de preferência nos lugares úmidos e sombrios.
Valor terapêutico:
Tem as mesmas aplicações que as trapoerabas.




Nenhum comentário:

Postar um comentário